Ex-presidente afirma que vai acabar com o PPI
Felipe Moreno
Ex-presidente afirma que vai acabar com o PPI

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira (23) que a  troca no comando da Petrobras é "fake news" e convocou o presidente Jair Bolsonaro a mudar a política de preços da estatal, que obriga o reajuste automático conforme o mercado internacional.

Lula afirmou em entrevista ao vivo à rádio Mais Brasil News, de Manaus (AM) que em vez de trocar o presidente da estatal, o governo Bolsonaro precisa trocar de postura e ter "coragem de assumir a Presidência do Brasil".

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

"Ele precisa parar de acreditar que a fake news que ele faz todo dia, toda semana de manhã, vai sustentá-lo por muito tempo. Ele pode fazer uma reunião com o Conselho Nacional de Política Energética, trazer a Petrobras para a mesa, trazer o Conselho da Petrobras e decidir que o preço não será dolarizado, que nós não vamos pagar o preço internacional, nós vamos pagar o preço do custo da gasolina aqui no Brasil. É isso que nós vamos fazer, porque o trabalhador ganha salários em reais. Nós fazemos produção em reais, não tem porque ficar cobrando em dólar".

O ex-presidente também criticou a privatização de refinarias, como a BR Distribuidora, sob o pretexto de baratear o combustível. 

"Essa empresa [BR Distribuidora] foi esquartejada, foi privatizada e hoje nós temos mais de 392 empresas importando gasolina dos Estados Unidos sem pagar imposto e cobrando a preço de dólar aqui no Brasil".

Lula afirma que, se eleito, vai acabar com o PPI (Política de Preços em Paridade Internacional), em vigor desde 2016. A medida, no entanto, precisaria de aprovação do Conselho da estatal.

"Para o povo brasileiro, o preço da gasolina a R$ 8, o diesel a R$ 7, o gás a R$ 150, R$ 140, R$ 130, e para os acionistas estrangeiros, lucro. Não é possível, é irresponsabilidade. Um governo totalmente irresponsável, não tem nenhuma preocupação com o povo brasileiro", disse.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários