Proibição pode agravar crise de abastecimento mundial
Luiz Fernando Martinez/Fotoarena
Proibição pode agravar crise de abastecimento mundial

A Índia proibiu as  exportações de trigo neste sábado (14), apenas alguns dias depois de dizer que estava visando embarques recordes este ano, uma vez que uma onda de calor escaldante reduziu a produção e os preços domésticos dispararam para uma alta histórica.

A medida foi duramente criticada pelos ministros de Agricultura do G7, reunidos na Alemanha, que afirmaram que a decisão do governo indiano "agravará a crise" de provisionamento mundial de cereais provocada pela guerra da Ucrânia. 

“Se todos começarem a restringir exportações ou fechar seus mercados, a crise se agravará e isso prejudicará também a Índia e seus agricultores”, disse o ministro alemão, Cem Özdemir.

"Instamos a Índia a assumir suas responsabilidades como membro do G20", grupo que reúne as principais economias e países emergentes, acrescentou.


Özdemir destacou que o G7 “tem se pronunciado contra as restrições a exportações e defendido a manutenção dos mercados abertos”.

O governo indiano disse que permitirá apenas as exportações apoiadas por cartas de crédito já emitidas e para países que solicitem suprimentos "para atender às suas necessidades de segurança alimentar".

Os compradores globais estavam apostando no fornecimento do segundo maior produtor de trigo do mundo depois que as exportações da região do Mar Negro caíram após a invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro. Antes da proibição, a Índia pretendia embarcar um recorde de 10 milhões de toneladas este ano.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

*Com informações de agências internacionais

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários