Petrobras diz que processo de venda foi cancelado
Alexandre Cassiano/Agência O Globo
Petrobras diz que processo de venda foi cancelado

A Petrobras informou na manhã desta quinta-feira (28) que não foi concluído o processo de sua unidade de fertilizantes, no município de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, para o grupo russo Acron. Segundo a estatal, o motivo foram as intenções russas.

"O plano de negócios proposto pelo potencial comprador, em substituição ao projeto original, impossibilitou determinadas aprovações governamentais que eram necessárias para a continuidade da transação", disse a estatal.

A venda da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III) foi anunciada em fevereiro pela então ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Apesar de uma potência agrícola, o Brasil é importador de fertilizantes. A fábrica poderia reduzir essa dependência.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

O anúncio da ministra foi feito poucos dias antes de o presidente Jair Bolsonaro — que festejou a notícia em redes sociais na época — viajar para a Rússia, e cerca de duas semanas antes da invasão da Ucrânia por tropas russas.

Negócio bilionário

O valor da operação não foi revelado, mas segundo uma fonte, a soma corresponderia ao que a Petrobras já havia investido no empreendimento, em torno de R$ 3,8 bilhões. A expectativa era que fábrica começasse a operar em 2027.

Leia Também

A negociação foi cercada de polêmica. A senadora e pré-candidata à Presidência da República pelo MDB, Simone Tebet — que, há 11 anos, quando era prefeita de Três Lagoas, cedeu um terreno de 50 hectares para a fábrica — afirma que a estatal, além de ter se precipitado com a venda, não se preocupou em colocar no contrato um prazo que obrigue a compradora a produzir a partir de determinado período.

Ela comemorou o fim do acordo. "Conseguimos! Vitória da verdade, do respeito à soberania nacional e da segurança alimentar. Agora, sim, poderemos produzir mais fertilizantes e garantir mais comida no prato dos brasileiros", declarou.

A UFN3 começou a ser construída em 2011, para produzir ureia e amônia. As obras, no entanto, estão paradas desde dezembro de 2014. Em 2017, a Petrobras colocou a fábrica à venda, alegando querer sair da área de fertilizantes.

Impasse no fornecimento de gás

Na ocasião, com a unidade 81% concluída, a Acron chegou a mostrar interesse, mas desistiu, devido à dependência do fornecimento de gás natural pela Bolívia.

Depois, a empresa voltou a negociar com a Petrobras e acertou o acordo no início deste ano, mas o impasse sobre o fornecimento de gás - essencial para a produção de fetilizantes - permaneceu.

A expectativa era que a empresa importasse insumos da Rússia e fabricasse o produto final em uma misturadora. Mas, com o negócio desfeito, a venda da unidade volta à estaca zero.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários