Rodrigo Pacheco fala que Senado deve manter valor aceito pela Câmara
Jefferson Rudy/Agência Senado
Rodrigo Pacheco fala que Senado deve manter valor aceito pela Câmara

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou nesta quarta-feira (27) que há uma "tendência" de manter o valor mínimo do Auxílio Brasil em R$ 400, conforme aprovado pela Câmara . Pacheco falou sobre o assunto antes do término da apreciação na outra Casa.

"Em relação ao valor, eu imagino que haja já uma tendência de se manter o valor que foi pactuado até porque de nossa parte, do Senado, nós temos uma grande responsabilidade fiscal também", declarou, em conversa com jornalistas.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

A MP tem prazo até o dia 16 de maio para ser apreciada. Do contrário, perde a validade. "Assim que chegar no Senado, será designado um relator. Nós colocaremos no plenário do Senado dentro do prazo de caducidade da medida provisória", garantiu o presidente do Senado.

Por 418 votos a sete, a Câmara aprovou a MP que estabeleceu R$ 400 como piso do programa Auxílio Brasil. Para garantir acordo, o ex-ministro João Roma (PL-BA), relator da matéria, incluiu de última hora uma alteração para que o benefício tenha caráter permanente, e não acabe no fim deste ano, como previsto originalmente pelo governo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários