Setor de serviços registra segunda queda consecutiva em fevereiro
Shuttersock
Setor de serviços registra segunda queda consecutiva em fevereiro

O setor de serviços recuou 0,2% na passagem de janeiro para fevereiro, segundo dados da Pesquisa Mensal de Serviços, divulgados nesta terça-feira (12) pelo IBGE.

É a segunda retração seguida. O setor permanece acima do nível pré-pandemia (com alta de 5,4%), mas agora com desempenho mais baixo frente o nível de fevereiro de 2020.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

O número veio abaixo do esperado pelo mercado. Segundo mediana das projeções dos analistas ouvidos pela Reuters, era esperado uma alta de 0,8%.

Acomodação do setor

o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, ressalta que quatro das seis últimas taxas foram negativas.

"O saldo desses 6 meses ficou em 0,1%, ligeiramente positivo e muito próximo da estabilidade. (...) Isso configura um setor de serviços mais estacionário, mostrando uma acomodação dos ganhos auferidos até agosto de 2021”, contextualiza Lobo.

Leia Também

Perspectivas

Analistas econômicos consideram que a perspectiva para o setor de serviços em 2022 é pouco animadora. Isso porque, passados os efeitos mais duros da Covid-19, pesa sobre o setor o cenário macroeconômico que combina inflação em dois dígitos, juros em alta e desemprego ainda elevado.

No escuro:Falta de pesquisas do BC por causa de greve pode afetar decisão sobre juros na próxima reunião, dizem analistas

O Índice de Confiança de Serviços (ICS), do FGV IBRE, subiu 3,0 pontos em março, para 92,2 pontos. Com o avanço, interrompeu a sequência de quatro meses seguidos de queda.

Rodolpho Tobler, economista do FGV IBRE, avaliou que o avanço da confiança parece estar relacionado com a melhora da pandemia, em especial nos segmentos que dependem mais da circulação de pessoas.

"Ainda é preciso cautela sobre os próximos meses, o cenário macroeconômico negativo e a confiança baixa dos consumidores não permitem confirmar que essa alta seja a volta do caminho de recuperação observado no ano passado. Será preciso esperar por novos resultados favoráveis”, avaliou Tobler, em comentário.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários