Biden sofre sanções russas
Reprodução / TV Globo
Biden sofre sanções russas

 Rússia anunciou uma série de sanções de resposta aos Estados Unidos nesta terça-feira (15) e puniu o presidente do país, Joe Biden, e o secretário de Estado, Antony Blinken, informa a agência estatal Tass com base em um decreto do Ministério das Relações Exteriores de Moscou.

Entre as medidas, está a proibição de viagens ao país contra ambos e o congelamento de ativos em instituições russas. No entanto, a pasta afirma que as punições não impedem "contatos de alto nível necessários" entre os dois governos.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

As decisões são semelhantes às adotadas por Washington contra o presidente Vladimir Putin e o ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov.

Segundo a nota, as medidas já valem a partir desta terça-feira e foram adicionadas à "lista proibida" criada "em resposta a uma série de sanções sem precedentes".

Leia Também

Além dos dois, outros expoentes norte-americanos foram sancionados, como a ex-secretária de Estado e candidata à Presidência Hillary Clinton, o filho de Joe Biden, Hunter, a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, o chefe do Pentágono, Lloyd Austin, o chefe da CIA, William Burns, e o conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, Jake Sullivan. Também foi afetado o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau.

Desde o reconhecimento de Moscou de duas áreas separatistas ucranianas, Donetsk e Lugansk, em 22 de fevereiro, e o início dos ataques bélicos na Ucrânia, em 24 do mesmo mês, a Rússia foi alvo de diversos pacote de duras sanções dos países ocidentais mais poderosos, como EUA, Reino Unido e União Europeia - além de muitos dos seus aliados.

As medidas atacam tanto políticos ligados a Putin, como empresas, bancos, instituições e oligarcas poderosos do país.

Nesta terça-feira, por exemplo, o Conselho da União Europeia ratificou o quarto pacote de punições e o Reino Unido incluiu mais 370 russos e bielorrussos - país aliado a Moscou e acusado de ajudar e facilitar os ataques na Ucrânia - em sua lista de pessoas sancionadas por apoiarem o regime de Putin.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários