Banco Central
Redação 1Bilhão
Banco Central

Quando o Banco Central informou o lançamento de um sistema que revela se brasileiros têm valores a receber "esquecidos" em instituições financeiras, a expectativa foi grande. No mesmo dia em que o novo serviço do BC foi ao ar, o número acessos derrubou o site por 21h. Com a divulgação de que os clientes tinham cerca de R$ 8 bilhões a receber dos bancos, muitos imaginaram que poderiam ter cifras altas para resgatar e fizeram planos. Quando os valores foram liberados, no entanto, a maioria dos consumidores se depararam com valores irrisórios, com pouco ou nenhum poder de compra.

"Achei que daria pelo menos para tomar umas cervejas, fazer um churrasco com o dinheiro que tinha lá. Mas só deu para três latões", diverte-se Marcus Vinícius de Araújo, advogado, que vai resgatar R$ 12,89.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

"Não deu para o churrasco que eu imaginava. Eu tinha um financiamento de um carro, uns 20 anos atrás, comprei, paguei, já nem tenho mais o carro, e não sei por que o dinheiro estava lá", diz o advogado.

O aposentado Hermano Machado se frustrou ao ver que tudo que tinha a receber era R$ 0,01:

" Ficou aquela brincadeira em casa, os filhos falando que eu iria receber um dinheirão. Não achava que fosse ser muito, mais uns R$ 50, talvez. Mas também não imaginava que seria um centavo. Não dá pra comprar uma bala sequer."

Conserto do carro, reparos na casa foram alguns dos planos que  o editor de vídeos Erick Queiroz começou a fazer quando soube que tinha dinheiro a receber. O sonho, contudo, durou muito pouco:

Leia Também

"Depois que vi quer eram só R$ 0,13,  vi que não tinha, de fato, possibilidade de eu ter esquecido um valor mais alto. Deixei pra lá, por conta da pequena quantia. Mas  juro que se tivesse R$ 10 na conta, tiraria na hora. Já daria para tomar um açaí", brinca Queiroz.

Os valores irrisórios têm feito muitos cidadãos deixarem de lado o dinheiro a receber, até porque há uma burocracia para receber.

"A demora para chegar até o resultado é frustrante, mas eu admiro bastante como isso foi feito, por conta de todo um aparato de segurança. Evitar fraudes e roubos é muito importante", admite Queiroz.

Veja como consultar e resgatar valores no site do BC:

  • - Acesse o site do Banco Central
  • - No caso de pessoa física, informe CPF e data de nascimento;
  • - No caso de empresas, informe CNPJ e data de abertura;
  • - Em caso de valores a receber, o sistema informará uma data de retorno ao site para que seja solicitado o resgate do saldo existente;
  • - Anote a data e o horário agendados;
  • - No dia agendado, acesse o site do BC e use seu login do portal Gov.br para solicitar o resgate.

Confira o calendário de agendamento para resgate do dinheiro:

  • - Quem nasceu antes de 1968 ou abriu a empresa antes desse ano, terá uma janela de 7/3 a 11/3 para consultar e solicitar o resgate dos recursos. A data de repescagem é 12/3;
  • - Quem nasceu entre 1968 e 1983 ou abriu empresa neste período, terá uma janela de 14/3 a 18/3. A data de respescagem é 19/3;
  • - Quem nasceu após 1983 ou abriu empresa após esse ano, terá uma janela de 21/3 a 25/3. A data de respecagem é 26/3;

E se eu perder o agendamento ou a repescagem?

  • - Se você perdeu a data do agendamento, basta entrar novamente no site valoresareceber.bcb.gov.br e solicitar novo acesso. O sistema vai informar nova data para o retorno;
  • - Haverá ainda uma data para repescagem de acordo com a data do nascimento, como acontece com a vacinação contra a Covid;
  • - Se você também perder seu sábado de repescagem, poderá consultar ou solicitar o resgate do saldo existente a partir de 28/03/2022;
  • - Se você não consultar ou solicitar o resgate do saldo existente em todas essas datas, não se preocupe, pois isso não afeta seu direito sobre os recursos a devolver. Eles são seus e continuarão guardados pelas instituições financeiras o tempo que for necessário, esperando até que você solicite o resgate.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários