Aproximadamente 100 mil ucranianos já fugiram da Ucrânia segundo a ONU
foto: EPA
Aproximadamente 100 mil ucranianos já fugiram da Ucrânia segundo a ONU

Grandes empresas e multinacionais suspenderam ou limitaram a produção na Ucrânia nesta quinta-feira (24), após a invasão russa ao país, em mais uma demonstração do impacto econômico do conflito .

Entre as companhias que fizeram esses anúncios estão fabricantes de alimentos e bebidas como a Carlsberg, uma empresa de engarrafamento da Coca-Cola, e a fabricante de salgadinhos Mondelez (MDLZ). Supermercados nas cidades estão cheios de consumidores em busca de estoques.

As companhias aéreas também suspenderam as operações na Ucrânia, cancelando voos. O espaço aéreo do país está fechado para voos comerciais.

A Wizz Air Holdings Plc, uma das poucas companhias aéreas estrangeiras com bases no país, informou que está tentando evacuar aviões e funcionários.

Uma das maiores companhias metalúrgicas da Ucrânia e maior produtora de aço do mundo, a indiana ArcelorMittal informou em publicação no Twitter que está trabalhando para reduzir a produção siderúrgica "ao mínimo técnico". E que será interrompida a atividade nas minas subterrâneas da companhia.

A empresa comunicou que está “profundamente preocupada” com a situação no país, e que colocou em prática planos para seus funcionários “ficarem seguros”.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia 

Cervejas têm linhas paradas

A maior cervejaria em atividade na Ucrânia, a Carlsberg, com 1.300 trabalhadores no país, interrompeu as operações em Kiev e na cidade de Zaporizhzhya, no sul.

Um porta-voz da empresa disse à Reuters que tomou "várias iniciativas na Ucrânia com o objetivo de cuidar da segurança de nossos funcionários no país", incluindo dizer a eles para ficarem em casa. No país, apenas a fábrica na cidade ocidental de Lviv segue funcionando.

Leia Também

A cervejaria turca Anadolu Efes, que opera uma joint venture com a belga Anheuser-Busch InBev (dona da brasileira Ambev) na Ucrânia com 3.000 funcionários, também interrompeu as vendas e a produção.

Ainda no mesmo ramo, a Coca-Cola HBC, engarrafadora da empresa, fechou temporariamente a fábrica no país.

Também comunicou a suspensão de operações a empresa de alimentos, doces e snacks Mondelez International Inc., caso as tensões no país se tornem "muito perigosas", disse o CEO Dirk Van de Put à Reuters nesta quarta-feira.

Na Rússia e na Ucrânia, países que a Mondelez considera mercados emergentes na Europa, a empresa fabrica marcas locais, como os biscoitos Jubilee e o chocolate Korona. Também vende biscoitos, incluindo a marca global Oreo, e chocolates como Milka, além de chicletes e balas da região.

A fabricante alemã de materiais de construção Knauf fechou uma fábrica de placas de gesso na região de Donbass, no leste da Ucrânia, até novo aviso “por questões de segurança” e enviou seus quase 600 trabalhadores para casa, de acordo com Jörg Schanow, membro do conselho de administração.

A Origin Enterprises Plc da Irlanda, uma empresa de agronomia, fechou escritórios e suspendeu as entregas na Ucrânia.

Já sobre o impacto do outro lado da fronteira, a Rolls-Royce, com 20% de seu titânio vindo da Rússia, vem estocando e diversificando suas fontes, disse o CEO Warren East em uma teleconferência. O metal é amplamente utilizado em motores, fixadores e outras peças de aeronaves devido à sua leveza, resistência e resistência à corrosão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários