Bradesco se desculpa com agro após vídeo sobre consumo de carne
Reprodução
Bradesco se desculpa com agro após vídeo sobre consumo de carne

Após uma propaganda sobre consumo sustentável, que circulou nas redes sociais na última semana, o Bradesco escreveu uma carta aberta se retratando com o agronegócio. Na campanha, sobre um aplicativo do banco que permite que os consumidores calculem a sua pegada de carbono, três influenciadoras dão dicas para reduzir os impactos ao meio ambiente. Em uma dessas dicas, elas recomendam que os espectadores reduzam o consumo de carne pelo menos uma vez na semana, em um movimento que ficou conhecido como "Segunda Sem Carne".

"A criação de gado contribui para a emissão dos gases de efeito estufa, então, que tal se a gente reduzir o nosso consumo de carne e escolher um prato vegetariano na segunda-feira?", sugerem.

A peça publicitária repercutiu negativamente entre entidades e políticos ligados ao agronegócio. Depois da reação, o banco divulgou uma carta dizendo que "acredita e promove direta e indiretamente a pecuária brasileira e, por conseguinte, o consumo de carne bovina". (leia o texto completo mais abaixo)

Veja a repercussão

O Instituto Mato-Grossense da Carne (Imac), por exemplo, criticou o conteúdo, dizendo que, em um contexto mundial, a pecuária brasileira é a menos impactante na produção de carbono.

"No Brasil, a nossa pecuária é realizada de forma natural, utilizando-se da pastagem como o principal insumo alimentar para a produção de carne bovina. Todos os modelos de produção que utilizam pastagens produtivas para a criação de bovinos contribuem positivamente para o balanço de carbono, sequestrando esse gás que a produção pecuária emite", afirmou.

"Dessa maneira, não é aceitável associar a responsabilidade integral pela emissão de gases de efeito estufa com a pecuária brasileira, tão pouco faz sentido ou possui respaldo científico a sugestão de reduzir o consumo de carne bovina no Brasil", continuou.

Já a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) publicou uma nota de repúdio contra o Bradesco e considerou "inacreditável que uma instituição financeira reconhecida preste um desserviço social como este, desaconselhando o consumo desta excelente fonte de proteína, cujos benefícios já foram cientificamente comprovados".

"Divulgar qualquer informação na contramão desses dados representa extrema ignorância por parte do interlocutor", completou a ABCZ.

O ex-ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, também resolveu se pronunciar sobre o assunto nas suas redes sociais. Pelo Twitter, Salles escreveu: "Que propagandazinha mais ridícula hein @Bradesco! Não tem cabimento trabalhar contra a pecuária brasileira! Viraram a ONU agora?!??! Adotar um Parque da Amazônia no programa #adoteumparque que é bom… até agora nada…!".

Banco se retrata com o agronegócio

Em resposta, o Bradesco removeu o conteúdo de suas plataformas e divulgou no último dia 24 uma carta aberta reafirmando o seu apoio ao agronegócio brasileiro e lamentando o ocorrido. Veja abaixo: 

Leia Também

Leia Também

CARTA ABERTA AO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

Ao longo de seus quase 79 anos de história o Bradesco apoiou de forma plena o segmento do agronegócio brasileiro, estabelecendo parcerias sólidas e produtivas. Tal opção é baseada em sua crença indelével nesse segmento enquanto vetor de desenvolvimento social e econômico do país.

Contudo, nos últimos dias lamentavelmente vimos uma posição descabida de influenciadores digitais em relação ao consumo de carne bovina, associadas à nossa marca.

Importante dizer que tal posição não representa a visão desta casa em relação ao consumo da carne bovina.

Pelo contrário.

O Bradesco acredita e promove direta e indiretamente a pecuária brasileira e por conseguinte o consumo de carne bovina.

Diante do ocorrido, medidas foram imediatamente tomadas incluindo a remoção do conteúdo de ambiente público, e, além disso, ações administrativas internas severas.

Dessa forma, reiteramos nossa lamenta pelo ocorrido e reforçamos mais uma vez nossa crença irrestrita na pecuária brasileira.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários