Paulo Guedes, ministro da Economia
Washington Costa/ASCOM ME
Paulo Guedes, ministro da Economia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, admitiu nesta sexta-feira (3) que a taxa Selic, atualmente em 7,75%, já está afetando a economia brasileira. Ontem o ministro havia culpado as  "condições climáticas" quando o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o recuo de 0,01% no PIB (Produto Interno Bruto) no 2º trimestre. 

Para 2021, os economistas que projetam o Boletim Focus do Banco Central já preveem a taxa básica de juros terminando o ano em 9,25%. Para 2022 a Selic chegaria a 11,25%. No mês passado, a pasta de Guedes estimou que o PIB crescerá 5,1% em 2021 e de 2,1% em 2022. 

"A Faria Lima, os banqueiros estão prevendo crescimento menor. É natural, é do ângulo de visão de de financistas. É claro que vai haver desaceleração forte porque os juros estão subindo. A inflação subiu. De novo, estamos fazendo a coisa certa. O importante não é a previsão, é fazer a coisa certa", declarou o ministro, durante participação em evento da indústria química.

Mesmo assim, Guedes quis deixar uma "palavra de ânimo" aos empresários, para que não acreditem em "previsões catastróficas" do mercado. 

Leia Também

"Esse descredenciamento das previsões catastróficas é basicamente o que estou fazendo. Não significa que é o melhor governo do mundo, mas também não é tão ruim quanto estão dizendo. [Empresários] continuem perseverando, resilientes, porque o brasil vai crescer. Pode até crescer menos durante o combate a inflação, mas vamos sair desse buraco. O Brasil não está mais no caminho da miséria, da Venezuela, da argentina, estamos no caminho da prosperidade", declarou.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários