Sanna Marin é a primeira primeira-ministra mulher da Finlândia e a mais nova a ocupar o cargo atualmente em todo mundo
Laura Kotila
Sanna Marin é a primeira primeira-ministra mulher da Finlândia e a mais nova a ocupar o cargo atualmente em todo mundo

O governo da Finlândia prepara uma lei que permitirá que funcionários da mesma empresa saibam os salários uns dos outros a fim de diminuir disparidades entre homens e mulheres. 

Sindicatos locais alegam que a medida criará ainda mais comflitos no ambiente de trabalho, informa a agência Reuters.

“O que é central para o programa do governo é a eliminação de disparidades salariais injustificadas”, disse o ministro da Igualdade, Thomas Blomqvist, à Reuters. “Agora elas serão tratadas mais rigorosamente.”

A medida deve passar no Parlamento graças à coalizão de centro-esquerda de cinco partidos da primeira-ministra Sanna Marin. Ela garantiu aprovação da proposta antes das eleições de abril de 2023. 

Em 2020, de acordo com a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), as mulheres finlandesas receberam em média 17,2% a menos que seus colegas do sexo oposto.

O ranking de paridade salarial colocou a Finlândia na 37ª posição, bem atrás de Noruega (8ª), Dinamarca (9ª) e Suécia (12ª), embora a igualdade de gênero esteja em alta na pauta política finlandesa há décadas. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários