Arthur Lira disse que não tem obrigação de garantir quórum para votação da PEC dos Precatórios
Reprodução
Arthur Lira disse que não tem obrigação de garantir quórum para votação da PEC dos Precatórios

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse em entrevista à GloboNews que pretende colocar em votação ainda nesta noite a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos Precatórios. Ele disse, contudo, que não tem obrigação de garantir quórum e que se a matéria não for aprovada, o governo terá que encontrar alternativa para prorrogar o auxílio emergencial.

"A nossa função é tentar aglutinar esforços, fazer construção de textos com líderes e representantes de segmentos aqui na Câmara para que a gente possa levar uma votação tão importante como essa com tranquilidade. Não podemos garantir quórum. Não é nossa obrigação", afirmou Lira.

Leia Também

Ele observou que a votação da PEC não poderá ser mais adiada porque o auxílio emergencial acabou em outubro. Com a PEC, o governo pretende garantir o Auxílio Brasil de R$ 400 mensais a 17 milhões de famílias até dezembro de 2022.

"Vamos conversar um pouco mais e tentar votar ainda hoje essa PEC e todos os seus destaques. Nós sabemos das dificuldades do tempo e não podemos adiá-la mais. Ou ela vai ter votos ou o governo vai ter que encontrar outra alternativa para resolver o problema do auxílio, para que 20 milhões de famílias não sejam prejudicadas", disse Lira.

A PEC adia o pagamento de precatórios, decisões finais da Justiça contra a União em 2022 e muda o cálculo do teto de gastos, que limita o crescimento das despesas à inflação, abrindo caminho para o pagamento do Auxílio Brasil turbinado de R$ 400.

Lira disse que já conversou com partidos da oposição para angariar votos, como PDT, PSB e que falará com o PCdoB. Também confirmou que manteve conversas com governadores. No entanto alguns partidos como o MDB continuam com restrições à PEC.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários