Senador Renan Calheiros, relator da CPI da Covid
Jefferson Rudy/ Agência Senado
Senador Renan Calheiros, relator da CPI da Covid

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid, usou as redes sociais neste domingo (31) para criticar o presidente Jair Bolsonaro pela extinção do Bolsa Família. Segundo Renan, Bolsonaro  acabou com o programa social por "pura inveja".

No passado, o senador relatou a proposta que criou o Bolsa Família, durante o governo do ex-presidente Lula (PT).

"Bolsonaro acabou com o Bolsa Família, o maior programa de distribuição de renda do mundo por 18 anos. Em 2003 fui o relator do projeto. Pela primeira vez colocamos os pobres no Orçamento. Agora, por pura inveja e sanha destrutiva, Bolsonaro joga milhões de famílias na incerteza", publicou Renan no Twitter.

Em novembro, ainda não há nenhuma confirmação oficial de qual benefício social os brasileiros necessitados irão receber. O governo tenta criar o Auxílio Brasil e já garantir o pagamento de R$ 400 , mas por enquanto não se sabe nem de onde virá o dinheiro. O "plano A", a PEC dos Precatórios , está empacada no Congresso e não é unanimidade nem entre os apoiadores do governo federal.

O presidente Jair Bolsonaro garante ter um plano B para a questão , sem dar detalhes de qual seria. Segundo Igor Gadelha, colunista do Metrópoles, a ideia é  editar um novo decreto de calamidade pública por causa da pandemia e, com isso, permitir um novo "orçamento de guerra", que tem menos limitações de gastos. Na prática, o governo já sabe que deve precisar furar o teto de gastos, e busca a forma de fazer isso.

Além das incertezas temporárias, no longo prazo há ainda mais dúvidas. O Auxílio Brasil, como está desenhado, é temporário e acabaria no final de 2022. Depois desse período, não se sabe como ficariam os informais brasileiros, hoje protegidos pelo Bolsa Família, programa social já reconhecidamente importante para diminuir desigualdades e combater a fome no País.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários