Onyx analisa substituição na presidência do INSS
Reprodução: iG Minas Gerais
Onyx analisa substituição na presidência do INSS

O ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, estuda trocar o comando do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social), com isso, um dos que sairia nos próximos dias seria o presidente da entidade, Leonardo Rolim, informa a CNN Brasil. 

Onyx tem promovido trocas no órgão desde que assumiu a pasta. Um dos cotados para o cargo seria José Carlos Oliveira, superintendente regional Sudeste do INSS.

Parte da insatisfação do governo se dá graças ao número de pessoas na fila para receber benefícios. A espera cresceu 0,6% entre abril e julho deste ano. Ao todo, são 1.844.820 pessoas aguardando algum benefício previdenciário, segundo dados obtidos pelo Instituto Nacional de Direito Previdenciário (IBDP).

Rolim seria então devolvido para a secretaria da Previdência, vinculado à pasta da Economia.

Leia Também

Leonardo Rolim participou de audiência virtual da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara e admitiu que os prazos atuais para o recebimento de benefícios e a realização de perícia médica estão longos. Segundo o presidente do INSS, a demora se deve ao fato de as agências terem ficado fechadas por seis meses e estarem funcionando de maneira mais restrita devido às determinações sanitárias provocadas pela Covid-19.

"Acreditamos que em breve teremos um prazo adequado. Inclusive, assumimos um compromisso perante o Supremo Tribunal Federal (STF), em um acordo que foi feito com o Ministério Público Federal e com a Defensoria Pública da União, de um prazo de 90 dias para a concessão do [[g BPC]] tanto da pessoa com deficiência quanto da pessoa idosa. Esse prazo começa a contar a partir de janeiro do ano que vem", esclareceu.

No início do ano, no entanto, médicos peritos declararam em nota que o atual presidente do INSS “fracassou miseravelmente” na missão de reduzir a fila de requerimentos.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários