Como as exportações empurram a recuperação da Itália
O Antagonista
Como as exportações empurram a recuperação da Itália

O PIB da Itália deve crescer 5,8% neste ano e 4,2% no ano que vem, segundo os dados atualizados do FMI. O bom desempenho é creditado, principalmente, à campanha de vacinação impulsionada pelo primeiro-ministro Mario Draghi (foto). O país já tem 70% da população totalmente imunizada contra a Covid . Desde a última sexta-feira, 15, os italianos só podem trabalhar presencialmente nos escritórios se estiverem vacinados ou mostrarem um teste negativo recente. Teatros, museus e restaurantes já exigem o comprovante.

Além da vacinação, outro fator que está ajudando a Itália é o comércio externo. No primeiro semestre deste ano, as exportações somaram 301 bilhões de dólares. O montante é 35% maior que o obtido no mesmo período do ano passado, algo esperado por causa da pandemia. Mas também é 11% maior do que o registrado antes da pandemia, no primeiro semestre de 2019 .

Leia Também

O responsável por esse crescimento é uma política lançada ainda no governo anterior, chamada de Pacto para as Exportações. “ Esse programa foi redigido após consultas com diversas associações industriais. Com o governo, eles discutiram quais seriam os meios para ajudar as empresas, sobretudo as de pequeno e médio porte, para que elas tivessem uma maior presença em mercados estrangeiros “, diz o analista Ronaldo Padovani, da Agência Italiana de Comércio, em São Paulo.

Um fundo de 1,4 bilhão de euros foi separado para financiar as companhias e promover produtos em mais de 70 países . O Pacto também ajudou a ampliar o leque de produtos vendidos. A maior fatia das exportações é composta por máquinas, componentes mecânicos, veículos e equipamentos elétricos, mas há também uma grande variedade de produtos que representam de 1% a 5% do total. “ Com uma indústria variada e presente em vários mercados, a Itália tem conseguido minimizar as flutuações nos mercados “, diz Padovani.

O comércio exterior representa 55% do PIB da Itália. No Brasil, essa fatia é de 32%.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários