Covid-19: 600 mil mortes custaram meio PIB ao Brasil
Fernanda Capelli
Covid-19: 600 mil mortes custaram meio PIB ao Brasil

A pandemia de Covid-19 tirou do Brasil 600 mil vidas e também deixou um impacto econômico estimado em meio PIB (Produto Interno Bruto). Estima-se que o novo coronavírus tenha causado ao Brasil um rombo de R$ 3,8 trilhões, 51% do PIB do ano passado, R$ 7,4 trilhões, segundo cálculos de seguradoras contratadas pela CNN Brasil.

Isso porque uma coisa é a queda do PIB, que foi de 4% no ano passado, outra são as sequelas deixadas pelos 600 mil mortos. A mão de obra e o fruto do trabalho e do empreendedorismo dessas pessoas será uma profunda rusga na economia para os próximos anos.

“Quando se quer avaliar o valor de uma vida estatística numa região, a regra geral é estipular para cada uma dela o valor total de 100 vezes o PIB per capita do país”, diz à CNN Francisco Galiza, mestre em economia pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e membro do conselho editorial da Escola Nacional de Seguros (Funenseg).

 No caso do Brasil, cada "vida estatística" representa R$ 3,5 milhões. Sendo assim, se considerarmos as 600 mil mortes, a perda seria de R$ 2,1 trilhões, mas ao adicionar a queda do PIB do ano passado para este, chega a R$ 3,8 trilhões. 

Leia Também

Em perspectiva é um valor baixo. No mundo a perda estimada pela Universidade de Harvard é de US$ 35,3 trilhões (R$ 193 trilhões). Nos Estados Unidos estima-se que o prejuízo pelas 625 mil vidas (quando o cálculo foi feito) seja de US$ 16 trilhões (R$ 87 trilhões). A diferença deve-se ao rendimento médio dos brasileiros e dos americanos, que é considerado no cálculo do "valor da vida".



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários