Ministério da Economia corta 90% dos recursos destinados à ciência, e cientistas apelam a Pacheco
Isabela Silveira
Ministério da Economia corta 90% dos recursos destinados à ciência, e cientistas apelam a Pacheco

Na noite da última quinta-feira (7), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), recebeu um apelo de oito entidades científicas para reverter uma decisão do Ministério da Economia que retira 90% dos recursos destinados à ciência. Em um ofício à Comissão Mista do Orçamento, a pasta cortou os R$ 690 milhões que estavam previstos para bolsas de estudo e projetos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Desse total, restaram apenas R$ 55 milhões.

O PLN 16 abria crédito suplementar ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Com a decisão, os 90% cortados serão destinados a outros ministérios, como o da Educação, da Saúde e o do Desenvolvimento Regional. Na nota, intitulada "Manobra do Ministério da Economia afronta a ciência nacional”, os cientistas pedem que os parlamentares voltem atrás da medida, já aprovada no Congresso Nacional. “Está em questão a sobrevivência da ciência e da inovação no país”, afirma o documento.

“A modificação do PLN 16, feita na última hora, no dia de hoje, pela Comissão Mista do Orçamento do Congresso Nacional, atendendo a ofício enviado ontem pelo Ministro da Economia, subtrai os recursos destinados a bolsas e apoio à pesquisa do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações e impossibilita projetos já agendados pelo CNPq. É um golpe duro na ciência e na inovação, que prejudica o desenvolvimento nacional", dizem as entidades científicas.

Assinaram o apelo a Associação Brasileira de Ciências, SBPC, Andifes, Confap, Conif, Confies, Consecti e IBCHIS.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários