Por que startup é o investimento do futuro?
Brasil Econômico
Por que startup é o investimento do futuro?


O Brasil está na posição 137 do índice de liberdade econômica, perto de países como Paquistão, Serra Leoa, Nigéria, Egito e Zimbabwe. Além disso, são necessários 80 dias para abrir um negócio no país, segundo ranking da Doing Business. Fica evidente que o Brasil é uma floresta de oportunidades, mas um deserto de soluções.

Para o criador da startup Pegaki, João Cristofolini, o papel do governo passa por "não atrapalhar" quem está tentando empreender. "A melhor forma de incentivar o empreendedorismo, não só para startups, mas para qualquer negócio, é aumentar a liberdade", disse em entrevista ao Brasil Econômico Ao Vivo desta quinta-feira (7). 

O empreendedor complementa dizendo que a manutenção de juros baixos incentivam quem tenta conseguir financiamento para abrir sua empresa. Atualmente a Taxa Selic, que rege os juros básicos, está em 6,25% ao ano. Analistas do mercado projetam que chegue a 8,5% ao fim de 2021.

"Quando eu tinha 15 anos a taxa de juros era de 20%, 30% ao ano. Então para que eu vou investir se eu posso deixar o dinheiro lá rendendo?", lembra.  

Eduardo Cosomano, que escreveu o livro 'Saída de Mestre: estratégias para compra e venda de uma startup' junto com Cosolini, acrescenta que o governo "tem uma certa dificuldade em não atrapalhar".

"Não atrapalhar não é só diretamente, mas criar novos problemas, sejam reais ou fantasiosos. Também é não atrasar a política de vacinação que a gente tanto precisa. Quando a gente cria uma agenda de problemas que não existem, deixamos os problemas reais de lado e dificultamos o empreendedorismo".

Leia Também

Para o jornalista, crises políticas por vezes são geradas para manter agentes públicos no poder que "sobrevivem do caos ".

"A agenda política tem uma função enquanto o empreendedorismo tem outra. É muito importante não politizar o cenário de startups. O mérito é de quem gera emprego, acorda cedo, os pequenos empreendedores", comenta.

Veja o vídeo


Lives Brasil Econômico

Semanalmente, a redação do  Brasil Econômico entrevista algum especialista para aprofundar um tema relevante do noticiário econômico. Sempre às quintas-feiras, as transmissões começam às 17h pela página do Facebook e pelo canal do iG no YouTube. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários