Bolsonaro na ONU
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
Bolsonaro na ONU

O presidente Jair Bolsonaro discursou na Assembleia Geral das Nações Unidas nesta terça-feira (21) e além de defender o 'tratamento precoce', ineficaz contra a Covid-19, e dizer que não há desmatamento na Amazônia , afirmou que o governo pagou "um auxílio emergencial de 800 dólares para 68 milhões de pessoas em 2020". 

No ano passado, as parcelas do auxílio foram de R$ 600, pouco mais de US$ 113 dólares na cotação atual. Para as mães solteiras o valor pago entre abril e dezembro foi de R$ 1200, o que totalizaria US$ 223. 

"As medidas de isolamento e lockdown deixaram um legado de inflação, em especial dos gêneros alimentícios, no mundo todo. No Brasil, para atender aqueles mais humildes, obrigados a ficar em casa por decisão de governadores e prefeitos e que perderam sua renda, concedemos um auxílio emergencial de 800 dólares para 68 milhões de pessoas em 2020", disse Bolsonaro na ONU.

Segundo dados do balanço da Caixa Econômica Federal, o governo pagou R$ 293,1 bilhões de auxílio a quase 68 milhões de pessoas em 2020. Na média, cada informal recebeu R$ 4,3 mil, o que daria US$ 813.

Os valores levam em conta todos os desembolsos realizados até o dia 9 de fevereiro de 2021, quando o auxílio foi interrompido. De acordo com a Caixa, o auxílio "foi a maior ação de transferência de renda já realizada no Brasil". 

Nas redes sociais, junto com #BolsonaroMente, #BolsonaroVergonhaDoBrasil e #ONU2021, está "800 DÓLARES" como um dos assuntos mais comentados. Ou seja, para evitar a "contabilidade criativa", bastava que o presidente dissesse que sua conta deu-se no acumulado do ano. 


Leia Também

Veja a repercussão






    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários