Servidores protestam contra privatização da estatal
Redação 1Bilhão Educação Financeira
Servidores protestam contra privatização da estatal

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou, nesta quinta-feira (19), que pelo menos 70% dos funcionários dos Correios mantenham as atividades da empresa em todas as unidades. A decisão do ministro Agra Belmonte acontece um dia após a deflagração da greve dos funcionários da estatal.

A paralisação começou na quarta-feira (18) após assembleia de sindicatos que protestam contra a privatização dos Correios. O texto foi aprovado pela Câmara dos Deputados e agora está em tramitação no Senado. A proposta é uma das principais agendas do Ministério da Economia.

Por decisão do magistrado, os funcionários não podem impedir o trânsito de cargas, pessoas ou bens. Em caso de descumprimento, as entidades sindicais deverão pagar multa diária de R$ 100 mil.

Os sindicatos envolvidos com o movimento solicitaram o funcionamento de apenas 10% dos Correios durante a greve. No entanto, o TST entendeu ser necessário a manutenção dos trabalhadores para atender as demandas de entrega de encomendas e telégrafos em todo o país.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários