Mercado Livre vai abrir mais dois armazéns no Brasil para acelerar entregas
Darlan Helder
Mercado Livre vai abrir mais dois armazéns no Brasil para acelerar entregas

O Mercado Livre informou nesta quarta-feira (11) que não irá entrar na concorrência para a compra dos Correios, empresa estatal de telégrafos e entregas. Segundo a empresa argentina, os investimentos no grupo logístico é mais eficiente do que comprar outra empresa. 

A declaração foi dada em entrevista coletiva para anunciar a abertura de outros dois centros de distribuição, em Franco da Rocha (SP) e Belo Horizonte (MG). O Mercado Livre também informou que pretende aumentar o número de contratações e encerrar o ano de 2021 com oito depósitos e 16 mil colaboradores. 

"Ficamos confortáveis em dizer que não faz sentido participar da privatização dos Correios", afirmou Leandro Bassoi, vice-presidente de logística para a América Latina.

"O Mercado Livre não tem a intenção de fazer a aquisição dos Correios e de capturar eventuais benefícios de sinergia de peças logísticas porque a gente entende que a construção que tivemos dentro de casa foi muito mais eficiente", completou.

A privatização dos Correios é uma das principais agendas econômicas do governo federal para este ano. A medida foi aprovada pela Câmara dos Deputados na última semana e deve passar pelo Senado nos próximos dias. 

No entanto, a proposta ainda poderá ser barrada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Partidos de oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro questionam na Justiça a constitucionalidade da venda da estatal. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários