Governo decidiu se desfazer 100% dos Correios
Sophia Bernardes
Governo decidiu se desfazer 100% dos Correios

Com a privatização dos Correis aprovada na Câmara , abriu-se o caminho para o comprador abocanhar também mais de 2.500 imóveis que nem sequer a própria estatal sabe quanto vale. Segundo revelou o jornal The Intercept Brasil, o balanço patrimonial deveria ter sido feito em 2019, no entanto, foi postergado. Em 2014, contatou-se que a empresa tinha R$ 5,692 bilhões em prédios. 

Alguns deles em edifícios históricos que foram transformados em centros culturais, como os da Rua Visconde de Itaboraí, no Rio, do Vale do Anhangabaú, em São Paulo, e da Praça da Alfândega, em Porto Alegre.

Também no Rio de Janeiro, a estatal tem uma agência na rua Visconde de Pirajá, uma das principais de Ipanema, bairro com um dos metros quadrados mais caros do país, onde um apartamento de 100 metros quadrados custa, em média, R$ 1,8 milhão.

A sede da estatal, em Brasília, sozinha vale mais de R$ 360 milhões, de acordo com o contrato de seguro em vigor até junho passado. Outro posto, em Pituba, um bairro caro de Salvador, foi avaliado em mais de R$ 75 milhões ao ser segurado, em 2016, mas foi posto à venda por R$ 248 milhões em 2019.

Balanço ao longo dos anos:

  • 2014: R$ 5,692 bilhões
  • 2015: R$ 5,680 bilhões
  • 2016: R$ 5,671 bilhões
  • 2017: R$ 5,541 bilhões
  • 2018: R$ 5,561 bilhões
  • 2019: R$ 5,237 bilhões
  • 2020: R$ 3,850 bilhões

Ao ser advertida por auditores, a empresa afirmou que a pandemia atrapalhou a contabilidade da reavaliação de sua carteira imobiliária. Acrescentam, ainda, que mudaram a forma de calcular o valor de seus imóveis.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários