Durante os pagamentos do auxílio emergencial, ficam suspensas as ações dos municípios para administrar os benefícios
Reprodução: iG Minas Gerais
Durante os pagamentos do auxílio emergencial, ficam suspensas as ações dos municípios para administrar os benefícios

Nesta quarta-feira (dia 28), o Ministério da Cidadania suspendeu por mais 180 dias os procedimentos de averiguação e revisão cadastral dos beneficiários do Bolsa Família e do Cadastro Único. Além disso, enquanto o auxílio emergencial 2021 estiver sendo pago (o benefício for prorrogado por mais três parcelas) ficam suspensas as ações dos municípios para administrar os benefícios (já que são as prefeituras que inscrevem as famílias) e as alterações cadastrais dos beneficiários.

A Portaria 649, que trata do assunto, foi publicada no Diário Oficial da União. O objetivo é evitar aglomerações e impedir que cidadãos e funcionários que trabalham nos postos de cadastramento se exponham ao coronavírus.

Além disso, o governo estendeu o pagamento do auxílio emergencial para os já cadastrados no Bolsa Família. Para muitos, o valor do benefício substitui o pagamento do programa antigo (vale o que for mais vantajoso). Por isso, nenhuma alteração deve ser feita agora.

Diferentes procedimentos

Na averiguação cadastral, faz-se a checagem das informações declaradas pelas famílias no Cadastro Único (que reúne dados de pessoas de baixa renda para a inclusão em programas sociais), sejam ou não beneficiárias do Bolsa Família, cruzando dados com outras bases de dados do governo federal.

Na revisão cadastral, verifica-se se as famílias beneficiárias, com cadastros sem atualização há mais de dois anos, continuam dentro das regras para o recebimento do benefício.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários