Ao todo, 400 delas tem sociedade em empresas com capital maior que R$ 1 milhão
Reprodução: iG Minas Gerais
Ao todo, 400 delas tem sociedade em empresas com capital maior que R$ 1 milhão

O estado brasileiro gastou em fevereiro R$ 3,62 milhões com pensão para filhas de militares que tem sociedade em empresas milionárias . Ao todos, elas são mais de 400, e em um ano, consomem R$ 43 milhões em recursos da União. 

Segundo levantamento divulgado pelo site Metropoles, em 2020, foram destinados R$ 19,3 bilhões para todos os grupos de dependentes de militares. Em média, os vencimentos foram de mais de R$ 9 mil. 

Uma delas,  Janette Braga Sampaio de Queiroz, teve pensão dupla. Viúva e filha de militar, ela acumula os benefícios e recebeu R$ 36.198,18 brutos. Ela é sócia na Laq Participações LTDA, empresa com sede no Leblon (RJ), que consta com capital social de R$ 2,8 bilhões.

Gilberta Maria Lucchesi recebe desde 05/10/2016 R$ 11.529,20, mas é sócia na Repsol, empresa avaliada em mais de R$ 13 bilhões. Vera Inez Salgueiro Lermen recebe R$ 8 mil desde fevereiro de 2018, mas é sócia da CEEE (Companhia estadual de geração e transmissão de energia eletrética).

Pensão tripla 

Outro caso,  Geny Brilhante da Fontoura Rangel , é filha de militar e perdeu, além dele, dois maridos da mesma classe. Isso rende hoje para ela uma pensão tripla de R$ 70 mil.

Geny recebe pensões como viúva do almirante Sylvio da Fontoura Rangel desde fevereiro de 2001, como filha do marechal Manoel de Azambuja Brilhante desde setembro de 1996 e como viúva de um segundo-tenente desde dezembro de 2015. Além dela, outras 94 filhas ou viúvas de militares têm renda bruta que supera o teto constitucional, sendo que 43 delas não sofrem nada de abate-teto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários