null
Divulgação/Procon-AM
undefined


Nesta segunda-feira (15), o Ministério da Justiça e Segurança Pública divulgou o boletim “Consumidor em Números 2020”. O estudo realizado pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) monitorou diversos mercados e revelou que o setor financeiro e de telecomunicações registraram o maior número de reclamações, ambos com 28,6% das mais de 3 milhões de reclamações.

Atrás, ficou o comércio eletrônico (10%), transporte aéreo (5,5%) e bancos de dados de consumidores (4,4%). O estudo foi feito com os dados recolhidos durante o ano pelos 26 Procons dos estados e do DF e pelo site do governo consumidor.gov.br

No total, o Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), que reúne os Procons do Brasil, realizou 2,68 milhões de atendimentos durante o ano de 2020. O site do governo recebeu 1,20 milhões de reclamações.

Leia também

As empresas que registraram mais reclamações nos Procons de todo o país são a Enel, que fornece energia elétrica no estado de São Paulo, com 96 mil reclamações, a Oi, a Vivo e a Claro, com 89, 88 e 88 mil reclamações cada uma, respectivamente. A Tim ficou logo atrás, com 68 mil reclamações.

O índice de solução médio dos Procons foi de 74,8%. Os setores que lideram as respostas positivas são as teles (88%), o varejo eletrônico (79,9%) e a indústria (76,6%).

Entre 2019 e 2020, o setor que teve a maior taxa de crescimento de reclamações foi o turismo , com aumento de 427%. Em seguida estão  água e saneamento (280%), energia elétrica (249,2%), e varejo e comércio eletrônico (86,8%).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários