Olhar Digital

Apple
Unsplash/Medhat Dawoud
Fornecedor da Apple é acusado de usar trabalho escravo

Um fornecedor de empresas como Apple , Amazon e Tesla foi acusado de usar trabalho escravo em suas negociações com parceiros, segundo reportagem publicada no jornal Washington Post. A empresa chamada Lens Technology vem sendo apontada como “parceira de longa data” da Apple, tendo atuado “nos primórdios do iPhone”, de acordo com o projeto Tech Transparency, que ajudou o jornal na criação da matéria.

Segundo o texto, a Lens Technology emprega a força de trabalho dos “Uigures”, um povo de origem turcomena reconhecido como uma das 56 etnias presentes no território chinês. Essas pessoas são predominantemente muçulmanas e a empresa os teria empregado para suas estruturas na província de Xinjiang.

“A nossa pesquisa mostra que o uso de trabalho escravo pela Apple em sua cadeia de fornecedores vai muito além do que a empresa reconhece”, disse a diretora do Tech Transparency, Katie Paul. “A Apple diz tomar medidas extraordinárias para monitorar seus fornecedores para tais problemas, mas as evidências que encontramos estavam amplamente disponíveis na internet”, completou ela.

O problema do trabalho forçado imposto aos uigures chineses tem se tornado uma questão globalizada. O Congresso dos Estados Unidos recentemente elaborou um projeto de lei que efetivamente proíbe que produtos confeccionados por meio de trabalho escravo dessa etnia de entrarem nos EUA, além de impor sanções pesadas às empresas que vendem tais produtos, marcando-as como violadoras dos direitos humanos.

Entretanto, o projeto “empacou” seu avanço, com reportagens de diversos canais investigativos descobrindo, posteriormente, que esse atraso se deu por causa de um forte lobby executado no Congresso por empresas como Nike, Coca-Cola e Apple . O projeto ainda está na pauta para ser votado no Senado, mas isso ainda não tem data para acontecer e, antes disso, ele deve sofrer alterações que minimizem o seu impacto.

A Apple respondeu às acusações do Washington Post, informando que a Lens Technology lhe confirmou não ter feito “nenhuma transferência recente [de funcionários] da região dos uigures”. Um documento divulgado pela “Maçã” afirma que a empresa conduziu 1.142 avaliações em toda a sua cadeia de fornecedores espalhada em 49 países ao longo do ano de 2019.

A Apple , porém, não comentou se a Lens Technology estaria entre as empresas auditadas. Já em novembro deste ano, o porta-voz da Apple, Josh Rosenstock, disse ao Washington Post que a empresa “não encontrou evidências” de trabalhos forçados em suas linhas de produção na China .

No passado, a Apple veio a público para condenar o emprego do trabalho escravo , dizendo que isso jamais faria parte da cultura da companhia e prometendo cortar relações com qualquer fornecedor que engajasse na prática. Entretanto, a matéria veiculada pelo Washington Post diz que a Lens Technology é “uma entre outras cinco” empresas que estariam fazendo isso.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários