Odebrecht
Folhapress
Odebrecht

A Odebrecht anunciou nesta quarta-feira que o Departamento de Justiça (DoJ) dos Estados Unidos está encerrando o monitoramento externo independente que vinha realizando dentro da empresa desde fevereiro de 2017. A ação fazia parte do acordo fde leniência da companhia irmado com a empresa em 2016 após os escândalos de corrupção denunciados pela Operação Lava-Jato .

O acordo previa este monitoramento por três anos. O objetivo era saber se a empresa mudou sua conduta. No acordo, a Odebrecht se comprometeu a pagar US$ 2,6 bilhões em multas para autoridades brasileiras, norte-americanas e suíças.

"O monitor do DoJ certificou que o sistema de conformidade da Odebrecht, incluindo as suas políticas e procedimentos, está desenhado e implementado para prevenir e detectar potenciais violações das leis anticorrupção . Esse sistema é reconhecido por todos os integrantes do Grupo Odebrecht como parte importante das operações no dia a dia dos Negócios", afirmou a empresa, em nota.

Segundo a empresa, o monitoramento foi minucioso, extenso, em com alcance global. Cerca de 900 pessoas foram entrevistadoras no processo, que analisou mais de 30 mil documentos relacionados á operação da empresa . A equipe de monitoramento visitou instalções da Odebrecht em sete países, visitou onze canteiros de obras e testou mais de cinco mil transações.

A notícia ocorre alguns meses após a aprovação do plano de recuperação judicial da Odebrecht e em pleno processo de venda da Braskem. Ruy Sampaio, presidente da Odebrecht comemorou, em nota, a coincidência destes eventos:

“Junto com a reestruturação financeira, conquistada em julho após a homologação da recuperação judicial, o fim do monitoramento e a certificação dada pelo monitor do DoJ ajudam no reconhecimento da nova empresa que já somos. Essa transformação não é momentânea, é sustentável ao longo do tempo".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários