Brasil Econômico

Carrinho bate-bate em um parque de diversões
Reprodução/Youtube
Criança é indenizada em R$ 10 mil por acidente em carrinho bate-bate


Em Belo Horizonte (MG), a juíza Danielle Christiane de Castro Cotta, da 2ª Vara Regional do Barreiro, condenou o Big Shopping de Contagem e a empresa DN Diversões a pagarem uma indenização de R$ 10 mil à família de uma criança que sofreu queimaduras em um carrinho bate-bate no parque de diversões que estava dentro do shopping.


Em setembro de 2015, a criança estava brincando no carrinho bate-bate quando o brinquedo pegou fogo depois de um curto-circuito, que lançou faíscas e atingiu o pé e o tornozelo da criança

O parque argumentou na Justiça, que o acidente não foi comprovado. Ainda segundo o argumento, o brinquedo utiliza baixa voltagem e, em caso de incêndio, não teria causado queimaduras na criança. O parque ressaltou ainda que não existe fiação no carrinho e que o disjuntor desarma em caso de superaquecimento.

O centro de diversões também afirmou que, em casos assim, o funcionamento do carrinho bate-bate é desligado e a brigada de incêndio acionada, o que não aconteceu

A mãe do menino relatou que, no dia do acidente, os funcionários demoraram para perceber o problema e desligar o brinquedo, mesmo com os gritos da criança. Na enfermaria do shopping , o menino foi atendido, recebeu curativo e foi dispensado. Como provas, ela apresentou fotos do brinquedo e das queimaduras, a ficha de atendimento assinada pela técnica de enfermagem do shopping e o boletim de ocorrência.

Levando em consideração as evidências apresentadas, a juíza Danielle Christiane Cotta determinou que ficou comprovada a relação entre as queimaduras na criança e a atividade dentro do parque. Ela ressaltou que o episódio configura dano moral , porque um momento de lazer se transformou em desespero, sofrimento e angústia. A indenização por danos estéticos foi negada. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários