Brasil Econômico

Placa da empresa escrito JBS
JBS/Divulgação
JBS e J&F assumem corrupção nos EUA


A JBS e seus controladores, reunidos na holding J&F Investimentos, anunciaram, nesta quarta-feira (14), dois acordos com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos para encerrar processos contra as companhias.


A J&F, da família de Joesley e Wesley Batista , assinou o primeiro acordo se declarando culpada por violar a Lei de Práticas de Corrupção no Exterior (FCPA) dos EUA. Os atos praticados foram objeto de acordo entre a J&F e o Ministério Público Federal brasileiro e também dos acordos de colaboração entre Joesley e Wesley com a Procuradoria Geral da República, que foram investigados pela Operação Lava-Jato,  segundo apuração da Exame.

A J&F deveria pagar US$ 256,5 milhões por essa violação, mas a holding recebeu crédito de 50% por ter pago, anteriormente, às autoridades brasileiras, então o montante a ser pago ficou em US$ 128,3 milhões.

Já o acordo assinado pela JBS foi com a Securities and Exchange Commission (SEC), devido às práticas de corrupção admitidas no âmbito da Lava-Jato . Nos EUA, a subsidiária da JBS, Pilgrim’s Pride, não manteve, com precisão, seu livros contábeis internos, e a JBS foi condenada a pagar uma multa de R$ 26,9 milhões.

No mercado financeiro, os investidores reagiram bem a notícia. Às 13h46, as ações da JBS subiam a 5,8% na B3, e o valor de mercado da empresa chegou a R$ 51,2 bilhões. As ações chegaram a 7% em seguida a publicação do comunicado.

    Veja Também

      Mostrar mais