Brasil Econômico

Maia
Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Maia falou do atraso em entrevista no domingo (11)

Em entrevista ao GloboNews no domingo (11), o presidente da Câmara,  Rodrigo Maia (DEM-RJ), admitiu que a reforma administrativa  será postergada para 2021. 

"O prazo de emenda vai acabar inviabilizando a votação neste ano, mas é bom que a gente começou o debate", disse Maia à emissora. "Esse debate começou e não vai terminar. A mesma coisa da previdenciária. Começou com presidente Michel (Temer) e terminou com presidente (Jair) Bolsonaro", completou.

Maia disse que nas próximas semanas será instalada a comissão especial para debater o mérito da proposta da reforma administrativa.

Esse passo seria posterior à análise da admissibilidade e constitucionalidade pela CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) da reforma administrativa. O funcionamento da CCJ está suspenso por causa da pandemia de Covid-19 e a reabertura depende de votação de projeto de resolução pela Câmara.

Na semana passada, Maia tinha se pronunciado junto com o ministro da Economia, Paulo Guedes, mostrando agilidade na agenda da reforma.

"Devemos fazer um trabalho junto com o Poder Executivo e a equipe econômica, junto com o belo trabalho da frente parlamentar e da comissão que nós vamos criar até o final do mês. Estamos no processo eleitoral e de fato o ritmo é mais lento, mas eu já tenho conversado com os líderes para que a gente possa iniciar nas próximas duas, três semanas, o trabalho da comissão especial", afirmou Maia em pronunciamento junto com Guedes, na última quinta-feira (8).

    Veja Também

      Mostrar mais