Olhar Digital

app caixa tem
Arquivo/Agência O Globo
Criminosos usaram robôs para roubas auxílio emergencial

O Governo Federal identificou uma ação de cibercriminosos para atacar o aplicativo Caixa Tem, plataforma que realiza os pagamentos do auxílio emergencial.

De acordo com informações da jornalista Carla Araújo em coluna para o UOL, autoridades afirmam que o ataque mobilizou bots (robôs) para executar disparos de mensagens em massa com conteúdo enganoso de que o aplicativo apresentava problemas para a visualização do saldo do benefício.

A Caixa informou ao veículo que o aplicativo funciona normalmente e que "não houve registro de intermitência" nas funções do programa.

O auxílio emergencial foi criado para assistir trabalhadores informais, desempregados e famílias em situação de vulnerabilidade durante a pandemia de Covid-19. O pagamento da quarta parcela do auxílio para cadastrados no programa federal Bolsa Família tem início na segunda-feira (20).

Ao UOL, o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI) afirmou que os registros de tentativas de golpes virtuais aumentam nas vésperas dos depósitos. Segundo Oliveira Freitas, assessor de segurança da informação do órgão, quando são detectados indícios de crimes as informações são repassadas à Polícia Federal, que toma as providências cabíveis.

Golpes

Em junho, foi identificado um esquema criminoso que disparava e-mails falsos com a informação de que a Caixa estaria mudando o aplicativo de pagamento do Auxílio Emergencial.

O golpe imitava elementos visuais de mensagens institucionais do banco para solicitar o recadastramento de usuários em uma plataforma falsamente associada ao Auxílio Emergencial. Os e-mails eram elaborados para despertar a sensação de urgência com ameaças de que se o procedimento não fosse realizado o internet banking e o aplicativo do usuário seriam bloqueados.

Já um relatório do dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, publicado em abril apontou a existência de cerca de 100 páginas falsas que solicitavam perguntas sobre dados pessoais e induzem usuários a compartilhá-las como garantia da obtenção do benefício. Até a divulgação do documento, as páginas já somavam mais de 6,7 milhões acessos e compartilhamentos

Cuidado

Uma das principais recomendações para evitar esses tipos de golpes é se atentar a detalhes do endereço web das páginas. O domínio de instituições governamentais, como a Caixa, conta com a terminação gov.br.

No caso de e-mails, é essencial não clicar em links suspeitos. Em muitas plataformas, como o Gmail, para conferir a URL de um link integrado no texto de mensagens, basta posicionar o comando do mouse em cima do hiperlink e um quadro com o URL destino aparece no campo inferior esquerdo da tela.

Além disso, sempre vale suspeitar de mensagens que tentam despertar sensação de urgência ou que solicitam informações pessoais. Dificilmente bancos enviam e-mails para atualização cadastral. Na dúvida, o melhor a se fazer é contatar a instituição para verificar se há alguma pendência.

    Veja Também

      Mostrar mais