rua vazia
Tomaz Silva/Agência Brasil
Desemprego continuou a subir entre maio e junho, mostra pesquisa

Aumentou em cerca de 2 milhões o número de  desempregados no Brasil entre a primeira semana de maio e a segunda semana de junho. É o que mostra o levantamento divulgado nesta sexta-feira (3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


A informalidade, que segura as taxas de ocupação, voltou a ter queda após duas altas consecutivas. Na formalidade, houve o fechamento de cerca de 2 milhões de postos de trabalho no período da crise da pandemia de Covid-19.

A pesquisa mostra que cerca de  11,9 milhões de brasileiros estavam desempregados na segunda semana de junho – aumento de, aproximadamente, 700 mil trabalhadores em comparação com a semana anterior.

Na comparação com a primeira semana de maio, a população desempregada aumentou em cerca de 2 milhões de pessoas – uma alta de 21% em cinco semanas.

desemprego subindo foi observado em todas as grandes regiões do país. A alta mais expressiva de maio para junho foi observada no Centro-Oeste (27%). Nordeste e Sul tiveram alta maior que a média nacional – 23% em ambas as regiões. No Sudeste, foi de 20%. A menor alta foi na Região Norte (11%).

Além disso, a pesquisa mostra que trabalhos na informalidade voltaram a ter queda após duas semanas em alta, que o contingente de trabalhadores afastados por causa do isolamento social segue em queda e que o número de trabalhadores em home office ou teletrabalho na pandemia se mantém estável.

O levantamento foi realizado entre os dias 7 e 13 de junho no projeto do IBGE, Pnad Covid19, versão da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua. A pesquisa é feita com apoio do Ministério da Saúde para identificar os impactos da pandemia no mercado de trabalho e para descobrir a quantidade de pessoas da síndrome gripal no Brasil.

Apesar de também avaliar o mercado de trabalho, a Pnad Covid19 não pode ser comparada aos dados da Pnad Contínua – indicador oficial do desemprego no país – por conta de diferenças metodológicas.

Pnad Contínua mostrou que, entre abril e maio, cerca de 7,8 milhões de postos de trabalho foram fechados no Brasil, chegando 12,7 milhões o número de desempregados no país.

    Veja Também

      Mostrar mais