O volume de serviços no Brasil despencou 11,7% em abril, em comparação com o mês anterior. O resultado, já com ajustes sazonais , é o pior desde o início da série histórica, iniciada em janeiro de 2011, informou nesta quarta-feira (17), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ( IBGE ). É o primeiro mês inteiro impactado pelas medidas de isolamento. Em março, o recuo foi de 6,9% frente a fevereiro.

Leia também: 

Brasil vai superar a pandemia, diz Guedes em reunião com instituição americana

Doria pede a Bolsonaro e Guedes para ampliar crédito a empresas: 'Dificuldade'

Você viu?

Câmara aprova texto da MP que afrouxa regras trabalhistas durante a pandemia

Na comparação com abril do ano passado, sem ajuste sazonal , o índice recuou 17,2%. No acumulado do ano, o volume de serviços caiu 4,5% de janeiro a abril em relação a igual período de 2019. Nos últimos 12 meses, o setor acumula queda de -0,6%.

Queda em todas as atividades

Todas as cinco atividades acompanhadas pelo IBGE tiveram retração. O segmento de transportes , serviços auxiliares aos transportes e correio (-17,8%) sofreu com pressões negativas vindas das empresas de transporte aéreo (-73,8%) e terrestre (-20,6%).

Setor de transportes teve retração de -17,8%, segundo IBGE.
Reprodução/CNT
Setor de transportes teve retração de -17,8%, segundo IBGE.

Já a atividade de serviços prestados às famílias (-44,1%), foi fortemente impactada pela interrupção na prestação de serviços de alojamento e alimentação (-46,5%) e de outros serviços prestados às famílias (-33,3%).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários