O governo começou a testar um sistema para digitalizar o chamado protocolo — processo pelo qual cidadãos fazem demandas a repartições públicas. O objetivo é acabar com os pedidos feitos por papel, que somaram mais de 24 mil entre janeiro e maio, só em órgãos ligados ao Ministério da Economia, como a Receita Federal .

Leia também: 

Lei Geral de Proteção de Dados: princípios e novas figuras introduzidas pela lei

Presidente do BB defende privatização que torne a empresa 'corporation'; entenda

Pessimista, Banco Mundial prevê queda de até 8% da economia brasileira em 2020

Você viu?

O projeto-piloto foi iniciado semana passada, somente nos órgãos ligados à pasta. A ideia é que o sistema seja oferecido aos outros órgãos da administração federal, disse ao GLOBO o secretário de Gestão do ministério, Cristiano Heckert .

"A maioria dos órgãos já tem um sistema de processo eletrônico, como o SEI (Sistema Eletrônico de Informações), para tramitação interna. Mas a interface com o cidadão é por um balcão físico. Se você precisa fazer um requerimento, seja qual for, junto ao órgão, o cidadão vai fisicamente até o setor de protocolo e o servidor que recebe esses documentos digitaliza e dá entrada no sistema", explica Heckert .

A lista de protocolos que ainda são feitos por papel inclui recursos e procurações, normalmente protocolados por advogados, boletos, cartas, reclamações e até atas de condomínio. O objetivo do sistema é que isso possa ser feito por meio digital, no portal gov.br.

Governo tenta acabar com pedido feito em papel em repartições públicas
Reprodução
Governo tenta acabar com pedido feito em papel em repartições públicas


"A resposta para o cidadão passa a vir também pelo canal digital. Com isso, ganha em eficiência o cidadão e ganha o serviço público, que elimina essa pessoa que fica no balcão recebendo papel", defende o secretário.

O teste da ferramenta ocorrerá até o dia 31 de agosto, e novos órgãos poderão aderir ao sistema.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários