Agência Brasil

A economia brasileira pode apresentar queda de 5% ou mais neste ano, e o desemprego deve aumentar muito, previu hoje (29) o presidente do Banco Central ( BC ), Roberto Campos Neto .

Governo muda regras para agilizar contratação de financiamento imobiliário

Para Campos Neto , o tamanho da queda do Produto Interno Bruto ( PIB ) vai depender da extensão das medidas de isolamento social. “É difícil prever, depende da extensão do isolamento social adotado em diferentes locais. O desemprego vai ser alto. Alguns agentes do mercado falam que o crescimento [do desemprego] será de provavelmente 15% ou um pouco mais”, disse em transmissão organizada pelo Valor Capital Group , fundo de investimentos americano.

Roberto Campos Neto, presidente do BC
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Roberto Campos Neto, presidente do BC


Nesta sexta (29), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ( IBGE ) informou que o PIB teve queda de 1,5% no primeiro trimestre, na comparação com último trimestre de 2019. Na comparação com o primeiro trimestre de 2019, o PIB caiu 0,3%. Em 12 meses, o PIB acumula alta de 0,9%.

Campos Neto afirmou que mesmo quando as medidas de isolamento social chegarem ao fim, por um fator psicológico as pessoas não voltarão a hábitos anteriores imediatamente. Ele acredita que esse fator do medo deve permanecer, pelo menos, até a metade do próximo ano.

Argentina e credores se aproximam de acordo com nova proposta

O presidente do BC disse ainda que se os bancos foram o problema na crise de 2008 , agora fazem parte da solução. “Temos que garantir que as pessoas e empresas tenham recursos e uma forma de eficiente de acesso aos recursos é por meio do sistema financeiro”, disse, acrescentando que é preciso garantir liquidez para os bancos, mas também manter as medidas de inclusão e educação financeira.

    Veja Também

      Mostrar mais