O Conselho Monetário Nacional ( CMN ) alterou nesta sexta-feira (29) uma regra para facilitar a liberação de financiamentos imobiliários temporariamente durante o período de crise causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) .

Caso Tiktok: a privacidade do público infantil não pode esperar

Com a mudança, as instituições financeiras poderão liberar os recursos de financiamentos contratados até 30 de setembro deste ano antes do previsto. Anteriormente, a liberação poderia ser feita só após o registro em cartório da constituição da garantia do financiamento.

Ministro da Economia, Paulo Guedes, um dos membros do CMN
Alan Santos/PR
Ministro da Economia, Paulo Guedes, um dos membros do CMN


A medida permite que os recursos sejam liberados a partir da “prenotação”, uma anotação provisória no protocolo dos cartórios que dá prioridade ao registro de direitos sobre imóveis.

“Sendo a prenotação ato inicial do processo de registro, a alteração regulamentar passa a conferir maior celeridade à liberação dos financiamentos imobiliários”.

Segundo o BC, a medida tem caráter temporário e tem o objetivo de compatibilizar o processo de concessão de crédito às limitações de atividades comerciais e públicos decorrentes do enfrentamento ao Covid-19 .

Guedes minimiza briga entre poderes e diz que desentendimentos são naturais

“Tal faculdade, a ser exercida conforme a política de crédito de cada instituição financeira, pode facilitar a liberação de recursos para pessoas físicas, para empresas e demais participantes do segmento de construção civil , do mercado de imóveis e das respectivas cadeias de fornecedores de bens e serviços, mitigando os impactos sobre o mercado imobiliário da atual pandemia”.

O CMN é formado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes , o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto .

    Veja Também

      Mostrar mais