Brasil Econômico

auxílio aplicativo
Lucas Tavares/Zimel Press/Agência O Globo
Erro para pedido do auxílio de R$ 600 ter sido negado pode ter sido de empresa e não do trabalhador

Milhões de brasileiros sofreram para conseguir ou, pior ainda, tiveram o auxílio emergencial de R$ 600 negado por inconsistências e erros nas declarações. Em alguns casos, o problema havia sido do governo ou do sistema, em outros do próprio trabalhador, mas também há uma outra opção: seu pedido pode ter sido negado por erros em declarações feitas por empresas pelas quais você trabalhou ou trabalha. A boa notícia é que é possível corrigir e tentar outra vez.

Leia também: Novo saque de R$ 1.045 do FGTS deve começar em junho; logística segue indefinida

As falhas em declarações negando benefícios para trabalhadores não nasceram com o 'coronavoucher', o auxílio emergencial voltado para trabalhadores informais na crise do novo coronavírus (Sars-Cov-2). Antes disso, pedidos de aposentadorias ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), por exemplo, já eram negadas em muitos casos por conta de erros nos pedidos.

Em alguns casos, ferramentas apresentadas pelo governo federal podem ajudar a corrigir os erros e tentar novamente o acesso ao benefício. Uma delas é a correção da Relação Anual de Informações Sociais ( Rais ), declaração feita pelas empresas que pode ser corrigida em gov.br , o portal de serviços do governo federal na internet. Outra opção é o Cadastro Nacional de Informações Sociais (Cnis), que pode ser checado e eventualmente corrigido pela central de atendimento da Previdência, no telefone 135.

No caso da Rais, a declaração é mais completa e permite que o trabalho faça o pedido com ela, até mesmo anexando documentos (imagens digitais de carteiras profissionais e rescisões, por exemplo) para facilitar a análise dos dados e aumentar a chance de ter o benefício aprovado.

A Rais reúne as datas de entrada e saída de empregos de cada trabalhador, dados que podem ser fundamentais para o governo conferir se um cidadão está de fato desempregado, por exemplo. Porém, para corrigir a declaração, é preciso ter acesso à internet e, caso haja erro, entrar em contato com a empresa. Não é possível corrigir a declaração feita por uma empresa, a menos que esta tenha fechado e já tenha dado baixa no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica ( CNPJ ).

Para corrigir informações na Rais, o trabalhador precisa abrir um processo administrativo para solicitar alterações no cadastro, serviço também disponível para as empresas. O acesso deve ser feito em  https://www.gov.br/pt-br/servicos/solicitar-alteracao-no-banco-de-dados-da-rais .

Leia também: Mais de 50% dos brasileiros cadastrados tiveram auxílio emergencial negado

Para corrigar pelo telefone 135, do INSS , o trabalhador terá auxílio de um atendente, mas, como o serviço foi recém lançado, pode haver uma dificuldade maior. O atendimento funciona de segunda a sábado, das 7h às 22h, e a ligação é gratuita quando feita por telefone fixo ou público. Por celular, o custo é de uma chamada local.

    Veja Também

      Mostrar mais