Ministro da Cidadania, Onyx Lorenxzoni
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Ministro da Cidadania, Onyx Lorenxzoni

O auxílio emergencial já foi pago a mais de 50 milhões de pessoas desde que os pagamentos começaram a ser feitos pelo governo federal. O número corresponde a 52% dos solicitantes dos benefícios. A informação foi divulgada pelo ministro Onyx Lorenzoni (Cidadania) nesta quinta-feira (7) em entrevista coletiva que o Palácio do Planalto realiza diariamente para atualizar as medidas de combate à Covid-19 .

De acordo com informações da pasta, o valor gasto agora até com os pagamentos foi de R$ 35,7 bilhões. O total de famílias beneficiadas foi de 41,2 milhões, o que significa que, das mais de 50 milhões de pessoas que receberam o auxílio, algumas moram na mesma residência.

Leia também: Bolsonaro decreta a construção civil e indústria como serviços essenciais

Do total de solicitantes, o Ministério da Cidadania chegou à conclusão que 32,8 milhões de pessoas (33,8%) são inelegíveis para receber o benefício. Enquanto isso, 13,6 milhões de processos (14,1%) foram considerados inconclusivos, número que inclui 7 milhões que estão em etapa de reavaliação.

Durante a coletiva, o ministro Lorenzoni aproveitou para reforçar que o período para solicitação do auxílio emergencial vai até o dia 2 de julho. Isso permite que mesmo que alguém faça o pedido nesta data possa receber as três parcelas do benefício.

Leia também: Não dá para salvar todo mundo', diz Roberto Setubal sobre crise na economia

Ao fazer uma crítica aos Estados Unidos, o chefe da pasta disse que o caminho adotado pelo Brasil no combate ao novo coronavírus (Sars-CoV-2) é "muito diferente do grande irmão do norte". O país citado indiretamente pelo ministro mandou cheques em vez de entregar dinheiro aos americanos. "Aqui temos crédito direto na conta das pessoas", afirmou Lorenzoni.

    Veja Também

      Mostrar mais