Ministro da Cidadania, Onyx Lorenxzoni
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Ministro da Cidadania, Onyx Lorenxzoni

O auxílio emergencial já foi pago a mais de 50 milhões de pessoas desde que os pagamentos começaram a ser feitos pelo governo federal. O número corresponde a 52% dos solicitantes dos benefícios. A informação foi divulgada pelo ministro Onyx Lorenzoni (Cidadania) nesta quinta-feira (7) em entrevista coletiva que o Palácio do Planalto realiza diariamente para atualizar as medidas de combate à Covid-19 .

De acordo com informações da pasta, o valor gasto agora até com os pagamentos foi de R$ 35,7 bilhões. O total de famílias beneficiadas foi de 41,2 milhões, o que significa que, das mais de 50 milhões de pessoas que receberam o auxílio, algumas moram na mesma residência.

Leia também: Bolsonaro decreta a construção civil e indústria como serviços essenciais

Do total de solicitantes, o Ministério da Cidadania chegou à conclusão que 32,8 milhões de pessoas (33,8%) são inelegíveis para receber o benefício. Enquanto isso, 13,6 milhões de processos (14,1%) foram considerados inconclusivos, número que inclui 7 milhões que estão em etapa de reavaliação.

Durante a coletiva, o ministro Lorenzoni aproveitou para reforçar que o período para solicitação do auxílio emergencial vai até o dia 2 de julho. Isso permite que mesmo que alguém faça o pedido nesta data possa receber as três parcelas do benefício.

Leia também: Não dá para salvar todo mundo', diz Roberto Setubal sobre crise na economia

Ao fazer uma crítica aos Estados Unidos, o chefe da pasta disse que o caminho adotado pelo Brasil no combate ao novo coronavírus (Sars-CoV-2) é "muito diferente do grande irmão do norte". O país citado indiretamente pelo ministro mandou cheques em vez de entregar dinheiro aos americanos. "Aqui temos crédito direto na conta das pessoas", afirmou Lorenzoni.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários