Brasil Econômico

O presidente da República, Jair Bolsonaro , assinou um decreto afirmando que as atividades de construção civil e industriais são essenciais durante a pandemia do novo coronavírus ( Sars-Cov-2 ).

Turismo mundial enfrenta a pior crise da história, diz OMT

A decisão foi publicada no "Diário Oficial da União" ( DOU ) desta quinta-feira (7) e já está em vigor.

Jair Bolsonaro e Paulo Guedes
Marcos Corrêa/PR - 1.4.20
Jair Bolsonaro e Paulo Guedes










O decreto, que altera a lista que já inclui mais de 50 itens, foi editado no mesmo dia que o presidente foi ao Supremo Tribunal Federal ( STF ) pedir que medidas restritivas nos estados sejam flexibilizadas.

Auxílio emergencial: nascidos em janeiro e fevereiro receberão a 2ª parcela

Atividades e serviços classificados como essenciais podem continuar funcionando durante a restrição por conta do vírus.

A indústria e a construção devem manter as atividades "obedecidas as determinações do Ministério da Saúde ", afirma o decreto.

Apesar da decisão do governo federal , quem de fato decide suas políticas de saúde, o que inclui as ordens de quarentena e quais devem ser os serviços essenciais, são os estados e municípios, por decisão do STF .

Na última vez que a lista foi alterada, no dia 29 de abril, Bolsonaro disse que as definições pelo governo federal dos serviços e atividades essenciais "não afasta a competência ou a tomada de providências normativas e administrativas pelos Estados , pelo Distrito Federal ou pelos Municípios, no âmbito de suas competências e de seus respectivos territórios".

    Veja Também

      Mostrar mais