bolsonaro miami
Alan Santos/PR - 9.3.2020
Bolsonaro garantiu, em Miami, que não vai intervir em preços dos combustíveis em meio a crise global do petróleo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (9) que não existe a possibilidade de o governo federal aumentar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para manter os preços dos combustíveis. Por meio de suas redes sociais, o presidente também afirmou que a Petrobras manterá sua política de preços “sem interferências” e que a tendência é que os preços caiam nas refinarias.

Leia também: Ações da Petrobras têm maior queda da história após petróleo desabar

Em Miami, o ministro de Minas e Energias, Bento Albuquerque , confirmou a declaração do presidente da República. "Não tem nada de aumento da Cide. A Cide é um dos componentes desses instrumentos que podem ser utilizados, como PIS Cofins, CPMF, etc", disse.

O ministro acrescentou que o governo está monitorando o mercado e vem estudando desde outubro passado instrumentos que poderão ser aplicados em caso de variação abrupta do preço do barril de petróleo , mas esses instrumentos não serão colocados em vigor ao "caso particular do que está acontecendo no dia de hoje”.

"No momento não há nenhuma medida emergencial que será adotada pelo Executivo. Nós estamos monitorando, acompanhamento e no momento oportuno serão adotadas as medidas e os instrumentos que se fizerem necessários", garantiu.

O titular de Minas e Energia também disse que conversou com Bolsonaro e que ele está tranquilo: "O presidente está acompanhando tudo. Hoje conversei cedo com o presidente, o presidente está muito tranquilo, ele já colocou claramente que não vai haver interferência de preço e ele disse que quem conduz essa questão é a equipe econômica".

Leia também: Guedes diz estar absolutamente tranquilo com caos global e dólar nas alturas

Bento Albuquerque finalizou sua declaração reforçando que a política de preços da Petrobras será mantida:

"Ele (Bolsonaro) disse, por exemplo, que a Petrobras tem total liberdade, a Petrobras vai continuar conduzindo a sua política de preços como veio conduzindo até agora. Nada mudou, o momento é de tranquilidade, nós estamos tranquilos, até porque estamos trabalhando no sentido de que a sociedade tem a certeza de que nós vamos adotar os instrumentos que sejam voltados para o interesse público", garantiu.

    Veja Também

      Mostrar mais