A Latam mudou a política de bagagem para viagens da América do Sul para Estados Unidos e África. Desde a última quinta-feira, dia 27 de fevereiro, quem comprar passagem para os Estados Unidos, com tarifa Light não tem mais direito a despachar nenhuma mala gratuitamente.

Por causa do coronavírus, Latam suspende voos entre São Paulo e Milão

Na modalidade Plus e Plus Premium Economy, foi reduzida de duas para uma bagagem sem cobrança de tarifa.

Para a África, as tarifas Promo e Light, que tinham direito a duas malas sem custo, agora terão cobrança por qualquer bagagem despachada. Na Plus, o número de volumes, sem tarifa, caiu de dois para um.

Balança comercial de fevereiro fecha com superávit de US$ 3,1 bilhões

Em nota, a Latam diz que a mudança na política de cobrança tem como objetivo "oferecer opções para os diferentes perfis de viajantes e padroniza o serviço em rotas internacionais do grupo."

Com a mudança, a Latam passa a adotar o mesmo padrão de cobrança de bagagem já praticado por Azul e Gol .

A Gol já não oferecia despacho de bagagem gratuito para voos internacionas nas tarifas Promo e Light. Na tarifa Plus, o cliente tem direito a despachar um mala sem custo e na Premium Economy, até duas.

Na Azul, a política é bastante similar. A pasaegem na tarifa Economy também não tem direito a despachar bagagem sem pagamento de taxa. Já quem compra a Economy Mais Azul tem direito a uma mala e a Economy Azul Super, duas.

Em todas as companhias, garante que o passageiro leve a bordo uma mala de até 10kg, sendo possível contratar o despacho da bagagem desde a hora da compra até o embarque, sendo que no último momento a taxa pode ser até o dobro da inicial.

    Veja Também

      Mostrar mais