Brasil Econômico

Pela manhã, caminhões formaram fila em frente à Ceagesp
Foto: Reprodução/TV Globo
Pela manhã, caminhões formaram fila em frente à Ceagesp

A Ceagesp informou, por meio de nota, que os portões do entreposto comercial serão reabertos a partir das 14h desta quarta-feira (12).

A diretoria do local explica que será permitida a entrada de caminhões para carga e descarga de frutas, legumes e verduras pelos portão 3 da Avenida Dr. Gastão Vidigal 1946, e portão 13 da Avenida das Nações Unidas (Marginal Pinheiros).

Ceagesp deve perder R$ 24 milhões e 7 mil toneladas de alimentos após chuvas

A previsão é ficar com entrada aberta até às 20 horas de hoje, reabrindo novamente à meia-noite. A feira de pescados, que acontece das 2h às 6h, e de flores, que funciona a partir das 2h no portão 7, ocorrerão normalmente.

A partir da quinta-feira (13), a previsão é ficar com entrada aberta 24 horas, até que o processo de abastecimento de mercadorias se normalize.

Ceagesp amanhece fechada pelo terceiro dia e caminhoneiros formam fila

Apesar do anúncio da diretoria, a associação dos permissionários da Ceagesp não acredita no prazo estabelecido pela gestão do local porque ainda há muito trabalho a ser feito, principalmente na limpeza.

De acordo com a Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, que acompanha as perdas ocorridas na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) e os impactos que isso gerou para o abastecimento e produtores rurais que vendem no local.

Ceagesp fica fechada para higienização e alimentos serão descartados

O órgão explica que como são produtos de curto prazo, o eventual impacto no abastecimento poderá ser rapidamente corrigido, não trazendo grandes prejuízos aos consumidores. "Já os produtores e comerciantes, maiores afetados, arcarão com os prejuízos econômicos tendo em vista a perda dos produtos levados para a comercialização no local", diz a secretaria.

“Com o ocorrido ontem, fica ainda mais iminente a necessidade de mudança das atividades de entrepostagem de alimentos do centro expandido da capital, que tem sido conduzida em conjunto pelos governos federal, estadual e municipal, dando espaço e incentivando a atuação da iniciativa privada para a construção e operação de uma central de abastecimento mais moderna, qualificada e com melhores serviços e garantias para os produtores e consumidores”, afirma o secretário de Agricultura e Abastecimento Gustavo Junqueira.

O secretário ressaltou, ainda, que a atual área, que demonstra ano a ano ter sérios problemas de drenagem, deve ser redirecionada para um grande projeto de desenvolvimento urbano, como o projeto conduzido pelos governos do estado e município, o CITI, endereçando e resolvendo estes atuais problemas de drenagem.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários