Ceagesp alagada em SP
Foto: Reprodução/Internet
Ceagesp alagada em SP

Após a inundação provocada pelas fortes chuvas em São Paulo, Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), localizada na Vila Leopoldina, Zona Oeste de São Paulo, está sem energia e segue fechada terça-feira (11). Desde a madrugada, quando o nível da água diminuiu, trabalhadores fazem a higienização do local.

Temporal alaga Ceagesp e atividades são paralisadas

Maior entreposto da América Latina, a Companhia ainda contabiliza as perdas provocadas pelo temporal. Os comerciantes descartam os alimentos que foram atingidos pelas enchentes e a estimativa do prejuízo, de acordo com a Fecomercio, é de R$ 21 milhões, já comerciantes falam em R$ 12 milhões. O faturamento anual da companhia é de aproximadamente R$ 7,8 bilhões.

Alagamento provoca queda de 19% nas vendas do varejo em São Paulo

De acordo com a Fecomercio, as chuvas e as enchentes não devem ter um impacto sobre os preços – na inflação –,   como houve durante a greve dos caminhoneiros em maio de 2018. O órgão diz que em princípio, a produção no interior do estado não foi afetada. De outra forma, isso poderia agravar a situação e diminuir a oferta de produtos, aumentado os preços.

Registro da limpeza publicado no twitter:

A feira de flores e pescado que ocorre nas madrugadas de terças-feiras teve de ser cancelada. Caminhões ficaram ilhados por mais de 24 horas e muitos boxes ficaram completamente alagados porque o nível da água atingiu dois metros. A previsão é de que o centro de abastecimento seja reaberto na quinta-feira (13).

Você viu?

Comércio prevê prejuízo de R$ 110 milhões com impacto das chuvas em São Paulo
Por meio de nota, a Ceagesp informou que a água está com nível baixo na maior parte do entreposto, permitindo que equipes de limpeza e manutenção possam circular entre os boxes para limpar a sujeira causada trazidas pelas águas da enchente do rio Pinheiros.

"Os portões continuam fechados para entrada e saída de mercadorias, até que a situação dentro do mercado esteja normalizada, e também por motivos de segurança alimentar, para que nenhum alimento contaminado seja comercializado e chegue indevidamente à mesa do consumidor", diz trecho da nota enviada à imprensa. 

"Os comerciantes já iniciaram os trabalhos de limpeza dos boxes e de retirada e descarte dos alimentos que foram contaminados pelas águas da enchente, e a Ceagesp montou uma força-tarefa de segurança, limpeza e manutenção para percorrer o mercado e fazer uma avaliação dos prejuízos causados pelas chuvas da segunda-feira.

Por conta disto, não é possível fazer ainda uma estimativa do prejuízo causado com a perda de mercadoria, nem dizer se haverá aumento de preços em decorrência do que aconteceu no ETSP. Por motivos operacionais e de segurança, os portões do mercado permanecerão fechados nesta terça-feira, até que se faça um levantamento mais preciso da situação".


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários