Preço da carne desacelerou em janeiro
Foto: Agência Brasil/Arquivo
Preço da carne desacelerou em janeiro


A prévia da inflação oficial ficou em 0,71% em janeiro, segundo divulgou o IBGE nesta quinta-feira (23), com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 ( IPCA-15 ). O valor é o mais alto para um mês de janeiro desde 2016. 

Em dezembro, a prévia da inflação fechou em 1,05%. Nos últimos 12 meses, o índice acumulou uma alta de 4,34% - no ano anterior, a taxa foi de 3,91%. 

Carne desacelera 

Na comparação com dezembro, o principal motivo pela desaceleração do índice, segundo o IBGE , foi a carne . Em dezembro, o produto tinha passado por uma alta de 17,71%, o que puxou a inflação para cima. Agora, esse índice foi de 4,83%. Mesmo com a desaceleração, a carne ainda foi o item com maior contribuição individual no índice, de 0,15 ponto percentual. 

Leia também: Em 2019, cesta básica de São Paulo teve alta de 10,66%

Dentre os produtos que aceleraram na comparação com dezembro e tiveram grande peso na prévia da inflação , o destaque vai para as frutas , cujo preço subiu 3,98%, e o frango inteiro , que saltou 4,96%. O produto que registrou maior queda foi a cebola , cujo preço caiu 5,43% de dezembro para janeiro. 

Alimentação e bebidas foram o grupo de produtos que mais registrou alta da passagem de dezembro para janeiro, com taxa de 1,83% - o que impactou 0,45 ponto percentual na prévia geral da inflação

Você viu?

Alta na gasolina

O grupo de transportes foi o segundo que mais impactou no índice. Isso se deve, sobretudo, ao preço da gasolina , que continuou subindo em janeiro, com aumento médio de 2,64%. Todas as regiões pesquisadas pelo IBGE tiveram alta no combustível, mas a campeã foi Fortaleza , com aumento de 4,60%. Em Belém , que teve o menor aumento do país, o acréscimo na gasolina foi de 0,58%.

Leia também: Inflação do aluguel acumula taxa de 7,91% em 12 meses, diz FGV

Mas não foi só a gasolina que impactou no aumento do preço dos transportes . Ônibus urbanos e táxis também viram seus índices subirem em 0,30% e 0,28%, respectivamente. O primeiro foi puxado, sobretudo, pelos reajustes das passagens em Brasília e São Paulo . Já o preço dos táxis foi impactado pelo aumento das tarifas no Rio de Janeiro

Belém inflacionada

Ainda sobre os transportes , a queda no preço das passagens aéreas , que tiveram redução de 6,45% em janeiro, fez com que Brasília tivesse o menor índice de inflação dentre as regiões pesquisadas (0,29%). 

Do outro lado, a campeã da inflação no Brasil foi a região metropolitana de Belém , com índice de 1,13%. O principal produto que puxou a taxa para cima foi o frango inteiro , que subiu 9,12% na região. 

Leia também: Mercado reduz estimativa da inflação para 2020; PIB deve crescer mais

Energia elétrica mais barata

Alguns grupos registraram deflação em janeiro, e o principal foi a habitação , com queda de 0,14% no índice. O principal motivo desta baixa foi a energia elétrica, que caiu 2,11% e foi o item com maior impacto individual negativo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários