Tamanho do texto

Para justificar a licença remunerada, a empresa afirmou que está realizando “ajustes e testes em seu sistema”

Funcionários da Embraer conheceram novas instalações da unidade Eugênio de Melo nesta terça-feira (21) arrow-options
Foto: Embraer/Divulgação
Funcionários da Embraer conheceram novas instalações da unidade Eugênio de Melo nesta terça-feira (21)

No mesmo dia em que voltaram das férias coletivas, nesta terça-feira (21), os trabalhadores da Embraer, agora chamada de Yaborã, foram colocados em licença remunerada. O comunicado foi feito aos funcionários pela manhã.

Os trabalhadores só retornam na próxima segunda-feira (27). Para justificar a licença remunerada, a empresa afirmou que está realizando “ajustes e testes em seu sistema”. A companhia está, desde 2018, em um processo de fusão com norte-americana Boeing.

Embraer entra em férias coletivas para preparar fusão com a Boeing

Segundo o comunicado interno, todos os funcionários da Yaborã e da Embraer no Brasil entrarão em licença, exceto os da EDE (Embraer Divisão de Equipamentos). As unidades que tiveram a produção parada por causa das férias coletivas são cinco no Vale do Paraíba, em Sorocaba, Gavião Peixoto, Botucatu, Campinas, Belo Horizonte e Florianópolis.

União Europeia suspende análise da fusão Boeing-Embraer à espera de dados

Entenda 

A Yaborã foi criada como empresa de transição até que a venda da Embraer para a Boeing seja concretizada. Cerca de dez mil trabalhadores tiveram seus contratos transferidos, no dia 1º de janeiro, para a Yaborã.

Permanecem na Embraer algo em torno de 3.500. Entre os 12 mil que ficavam na matriz, cerca de 2 mil estão, desde esta terça-feira, na fábrica do distrito de Eugênio de Melo e juntam-se a outros 1.500 que já estavam lá.

A Embraer aguarda a aprovação das autoridades concorrenciais para finalizar a fusão. O acordo em andamento entre as duas companhias prevê a criação de uma nova companhia, uma joint venture , na qual a Boeing terá 80% e a Embraer, 20%.

A nova empresa não vai absorver as atividades relacionadas a aeronaves para segurança nacional e jatos executivos, que continuarão somente com a Embraer.

A parceria comercial com a Boeing foi aprovada pelo governo brasileiro há um ano e pelos acionistas da Embraer em fevereiro de 2019. Desde então, as duas fabricantes trabalham para completar o negócio.

No dia 1º de janeiro, a Embraer divulgou um fato relevante, informando ao mercado e os acionistas que tinha efetuado a segregação da parte de aviação comercial das demais atividades.

Embraer sem aviões

Com a criação da Yaborã, a Embraer deixa de fabricar aviões em São José dos Campos. Sua atividade, agora, concentra-se em desenvolvimento de projetos. 

Os aviões executivos e militares são produzidos na cidade de Gavião Peixoto (SP) e na Flórida, Estados Unidos. Já a aviação comercial está sob o comando da Yaborã.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos vê com apreensão o anúncio de licença remunerada.

“A incerteza sobre o futuro desses trabalhadores só aumenta. Agora eles não são nem Embraer nem Boeing. A entrega para a norte-americana, se for concretizada, será o fim de 50 anos de história. O Sindicato permanece na luta contra essa transação comercial e em defesa dos empregos, seja na Embraer, na Yaborã ou na Boeing”, afirma o diretor do Sindicato André Luiz Gonçalves.

Nota oficial da Embraer

A Embraer realiza nesse mês de janeiro a implementação da segregação interna do negócio de aviação comercial, o qual permanecerá integralmente na companhia até a obtenção de todas as aprovações das autoridades concorrenciais que analisam a parceria estratégica entre Embraer e Boeing.

Hoje, a companhia inaugura as novas instalações da unidade de Eugênio de Melo, em São José dos Campos, em evento interno dedicado aos funcionários, que retornaram das férias coletivas.

Nos próximos dias, os sistemas que foram separados e/ou duplicados passarão pelos ajustes e testes finais, que são extremamente importantes para a constituição de duas empresas independentes e prontas para operar com total qualidade.

Para isso, a empresa decidiu conceder licença remunerada aos funcionários pelos próximos três dias. Todas as equipes devem retomar suas atividades normalmente no dia 27 de janeiro, segunda-feira.