Tamanho do texto

Após subir 1,15% em dezembro, índice encerrou 2019 em 4,31%, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (10) pelo IBGE; entenda a alta da inflação

carne arrow-options
shutterstock
Após alta superior a 30% da carne, inflação fechou 2019 acima do centro da meta do governo

A inflação oficial do país, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), encerrou 2019 em 4,31%, após uma alta de 1,15% em dezembro. O levantamento foi divulgado nesta sexta-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Leia também: INSS troca nomes e deixa aposentada sem benefício por achar que ela morreu

Segundo o IBGE, a alta da carne, de 32,4%, foi uma das coisas que elevou a inflação acima do centro da meta estipulada pelo governo, que era de 4,25%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual, permitindo variação entre 2,75% e 5,75%.

Em novembro, mês anterior ao da pesquisa derradeira de 2019, o IPCA havia registrado alta de 0,51%. Em dezembro, a maior pressão veio das carnes, que subiram 18,06%. No acumulado do ano, o setor de alimentos e bebidas subiu 6,37%.

No ano passado, o preço da carne subiu com força após o aumento das exportações brasileiras para a China e a desvalorização do real. Tereza Cristina, ministra da Agricultura, defendeu que os preços também tiveram forte elevação por conta da falta de reajustes nos últimos anos em função da crise econômica. Ela disse ainda que os valores pagos não devem voltar aos patamares anteriores.

Dentre os produtos que mais subiram em 2019, outros destaques além da carne foram feijão carioca (+56%), loterias (+40,36%) e planos de saúde (+8,24%).

Leia também: Doença misteriosa: Polícia identifica elemento tóxico em cerveja Belorizontina

Para este ano, a expectativa do mercado financeiro é que a inflação seja de 3,60%, de acordo com o Boletim Focus , relatório semanalmente divulgado pelo Banco Central, de 6 de janeiro, o primeiro do ano.