Brasil Econômico

Sem receber desde novembro de 2019, Maria José da Silva tenta resolver o erro do Instituto Nacional do Seguro Social
Agência Brasil
Sem receber desde novembro de 2019, Maria José da Silva tenta resolver o erro do Instituto Nacional do Seguro Social

A aposentada Maria José da Silva, moradora do Recife, luta para conseguir o seu benefício do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) . Isso porque, para o órgão, ela já "morreu" seis vezes, mesmo estando viva.

A pernambucana concedeu entrevista à TV Globo, nesta quinta-feira (9) para denunciar o descaso que enfrenta desde novembro de 2019.

Governo prepara força-tarefa para acelerar concessão de benefícios do INSS

Ela aguarda uma solução por parte do órgão, que sugeriu até a t roca do nome da beneficiária para resolver o problema, ocorrido após morte de outras pessoas com o mesmo nome dela.

“Teve um atendente que me disse 'a senhora deveria mudar seu nome'. Eu não vou mudar meu nome depois de velha. Acho que é falta de responsabilidade de quem lida com esses documentos. Sei que Maria José tem muitas, mas eu tenho o nome dos meus pais que me diferencia”, afirmou a aposentada, em entrevista à TV Globo.

A filha da beneficiária, Poliana Gomes, já tentou resolver o problema e não teve sucesso. “Normalmente sou eu quem recebe e, dessa última vez, a atendente do banco me disse que o benefício estava suspenso. Ela me disse que eu tinha que ligar para o 135, mas não consigo resolver”, disse.

74 mil beneficiados! Justiça libera R$ 930 milhões para pagar atrasados do INSS

De acordo com a família, não demorou tanto para resolver o equívoco das outras vezes em que Maria José foi declarada morta.

“Dessa vez, desde novembro estou sem receber dinheiro”, disse a aposentada, que depende do salário mínimo para arcar com custos de medicamentos e pagar contas.

O INSS ainda não se pronunciou sobre o caso.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários