Brasil Econômico

cadeirante
Pixabay
Catho promove mutirão gratuita de empregos para pessoas com deficiência nesta terça-feira (10)

A Catho promove nesta terça-feira (10), em São Paulo, seu primeiro mutirão gratuito de emprego voltado para pessoas com deficiência, em celebração ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, que ocorreu na última terça (3).

Leia também: Temporários: sem conhecer novas regras, só pensam em voltar ao mercado

O evento Minha Vaga Por Direito será realizado na Universidade Mackenzie (Rua Piauí, 130 - Prédio 29), em Higienópolis, das 9h às 17h, com entrada livre. A programação contará com a execução gratuita do laudo caracterizado por deficiência realizada por profissionais da saúde da empresa Etikz - assessoria de medicina e segurança do trabalho. Inscrições podem ser feitas no site  https://www.minhavagapordireito.com.br/lp/mutirao#/ .

A programação contará ainda com consultoria para elaboração de currículo, mutirão de emprego e a presença de empresas como Sebrae, Ambev, Outback, Santander, Ford, Tivit, Loggi e Makro, dentre outras, com oportunidades de vagas. Além disso, palestras, apresentação de cases de sucesso e bate-papo com recrutadores acontecerão durante o evento.

contratação de profissionais com deficiência no Brasil ainda é cercada de dúvidas, o que é evidenciado por pesquisa realizada pela  Catho com mais de 5,2 mil profissionais com deficiência. O laudo, documento que caracteriza deficiências e que também é utilizado como pré-requisito para a contratação de profissionais abrangidos pela Lei de Cotas, é identificado por 76% dos respondentes como um dos principais entraves na busca por emprego.

"Contratar um profissional por meio da  Lei de Cotas segue alguns protocolos. Dentre os principais pontos de dificuldade em relação ao laudo e à contratação estão a falta de conhecimento por parte das empresas (43%), dificuldades para conseguir uma consulta e solicitação de laudo (32%) e falta de informação sobre as deficiências que são abrangidas pela Lei de Cotas (27%). Demos um passo maior com a criação do evento porque apostamos na prática como um processo efetivo de inclusão. Nosso objetivo é massificar essa iniciativa, criando uma nova perspectiva para esses profissionais", explica a gerente da Catho, Maiara Tortorette.

Projeto do governo desobriga contratação de pessoas com deficiência

felipe rigoni, deputado cego
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Deputado Felipe Rigoni (PSB-ES), primeiro deputado federal cego, disse que PL representa retrocesso

O governo federal apresentou na última semana um projeto de lei que retira das empresas a obrigação da cota de contratação de pessoas com deficiência . O PL 6.195/2019 prevê a troca da contratação pelo pagamento de um valor correspondente a dois salários mínimos mensais ao governo.

O projeto, que foi encaminhado para o Congresso e tramita com caráter de urgência, representa na prática o fim da política de cotas para deficientes

Outro ponto do PL determina que a contratação de uma pessoa com deficiência grave possa valer por dois. Além disso, está previsto também um “empréstimo de cota ”, ou seja, quando uma empresa tiver mais funcionários com deficiência do que o mínimo estabelecido ela poderá se associar a uma outra, “cedendo” o excedente a esta.

A Associação Nacional dos Membros do Ministério Público de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência e Idosos (Ampid) divulgou uma nota de repúdio na qual afirma que o projeto de lei viola a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, que o Brasil é signatário. A associação também defende que o governo deveria consultar as pessoas com deficiência sobre o assunto.

Leia também: Trabalhadora temporária não tem direito à estabilidade se engravidar, decide TST

Felipe Rigoni (PSB-ES), primeiro deputado federal cego do Brasil, prometeu criar grande oposição do projeto de lei e afirmou ao iG que “É um absurdo o que foi feito. Traz um  retrocesso de mais de meio século no Brasil. Traz um entendimento que a gente tinha antes da primeira metade do século XX”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários