Tamanho do texto

Moeda subiu 2,2% nesta quarta após megaleilão do petróleo frustrar as expectativas do governo e arrecadar muito menos do que o esperado

dólar arrow-options
Reprodução
Dólar volta a subir nesta quinta após registrar maior alta em sete meses na véspera

O dólar comercial opera com leve alta nesta quinta-feira (7), dia que sucede a maior alta da cotação da moeda norte-americana em sete meses. Nesta quarta, a cotação disparou, subindo mais de 2,22%.

Leia também: Governo realiza novo leilão do pré-sal e arrecadação volta a decepcionar; veja

A alta é derivada da frustração em relação ao megaleilão do petróleo , que arrecadou bem menos do que o esperado. Enquanto o governo previa conseguir R$ 106 bilhões, a arrecadação total ficou em R$ 69,9 bilhões, levando o dólar a disparar e registrar sua maior alta desde 27 de março, quando a alta foi de 2,27%.

Nesta quinta, o dólar opera com alta de 0,20%, cotado a R$ 4,091, após fechar a véspera a R$ 4,082. Mais um leilão do petróleo aconteceu nesta quinta, e o resultado foi, mais uma vez, frustrante. Embora a arrecadação esperada fosse bem menor que a da véspera, o total esperado voltou a não ser atingido.

O governo esperava arrecadar R$ 7,8 bilhões nesta quinta, mas só conseguiu chegar a R$ 5,5 bilhões. A Petrobras voltou a dominar o leilão, e as ações da estatal se recuperam após despencarem na quarta.

Leia também: "Há resistência muito grande" no Senado, diz Alcolumbre sobre privatização da Eletrobras

Cotado a R$ 4,091, o dólar atinge o maior patamar desde 21 de outubro, quando a moeda estava cotada a R$ 4,131.