Tamanho do texto

Com a ascensão de influenciadores e plataformas que ensinam a ganhar dinheiro na internet, crescem também os riscos; veja as dicas para não cair em nenhuma roubada

finanças arrow-options
shutterstock
Veja as dicas para não cair em furadas financeiras na internet


internet  popularizou, e muito, o acesso a informações sobre  educação financeira e investimentos . Por outro lado, com uma grande quantidade de pessoas procurando sobre o assunto, cresce também a possibilidade de cair em dicas furadas, o que resulta em perda de  dinheiro

Sandra Blanco, consultora de investimentos da Órama, conta que é possível, sim, a prender a se organizar a até a investir dinheiro sozinho pela internet , mas que alguns cuidados precisam ser tomados. “Tendo tempo, disponibilidade e interesse, dá para aprender a investir sozinho”, afirma. 

Leia também: Cuide do seu dinheiro: aprenda sobre finanças de graça na internet

Segundo ela, uma grande oportunidade são os canais de  YouTube  que dão dicas sobre educação financeira. “Vejo isso de forma positiva, porque são pessoas que querem dividir suas próprias experiências”, opina. Segundo Sandra, porém, aprender a cuidar do próprio dinheiro é diferente de aprender a investir

No primeiro caso, aprende-se a organizar as contas, equilibrar receitas e despesas e poupar dinheiro. Até aí, segundo a consultora, não há grandes riscos em aplicar dicas encontradas na internet. O problema começa quando as pessoas procuram maneiras para ganhar dinheiro. 

1 - Cuidado com as dicas generalistas

Quando o assunto são os  investimentos , as dicas dadas online passam a ser muito generalistas quando, na realidade, cada caso é um caso. Segundo o consultor financeiro Ricardo Olio, cada pessoa possui um perfil diferente de investimentos e, por isso,  as dicas dadas online podem não se encaixar para todos . “Eu não consigo te indicar um investimento sem entender sua estrutura financeira”, afirma. 

Sandra afirma que, nesses casos, o melhor é procurar informações de  influenciadores que realmente entendem do assunto  e, diante disso, ser seletivo naquilo que serve, ou não, para o seu contexto pessoal. 

Leia também: Coisa de investidor? Criptomoedas se consolidam e ampliam modelo de negócio

Cair em uma dica generalista foi justamente o que aconteceu com o técnico químico Vinicius Rangel, de 24 anos. Há cerca de dois anos, ele começou a aprender sobre  educação financeira  na internet mas, quando foi investir, acabou perdendo dinheiro por acreditar que um determinado modelo de investimentos funcionava para ele quando, na verdade, seu perfil era outro. 

Sandra explica que, com a ascensão de informações sobre finanças na internet e com o surgimento de novos modelos financeiros, as pessoas acreditam que tudo está mais simples e conectado. Segundo ela, porém,  as regras do mercado financeiro seguem sendo as mesmas, e isso deve ser seguido . “As regras tradicionais ainda não mudaram. É preciso se identificar com um perfil de investidor, ver o que é mais adequado para você e aos seus objetivos”, afirma. 

2 - Não existe dinheiro fácil

“Oi. Meu nome é Bettina , eu tenho 22 anos e 1 milhão e 42 mil reais de patrimônio acumulado”. Quem nunca se sentiu atraído por uma frase como essa, que atire a primeira pedra. Aliás, achar que existe  dinheiro rápido  foi justamente o que fez Vinicius cair na dica errada. 

Leia também: Lembra dela? Bettina ressurge nesta terça sem prometer enriquecimento rápido

Sandra diz que  a promessa de dinheiro rápido e fácil é o maior alerta de que você pode estar prestes a cair em uma cilada . “Ninguém fica rico do dia para a noite”, enfatiza. “Um sinal vermelho piscante de que pode ser uma furada são os lucros extraordinários”. 

A consultora explica que é possível, sim, obter lucros extraordinários com investimentos de vez em quando, mas que isso não é a regra e não acontece em um curto período de tempo. Nesses casos, ela conta que é importante pensar na Selic e compará-la com a proposta que está sendo oferecida.

“Nossa taxa básica de juros, hoje, é 5,5% ao ano, e qualquer ganho acima disso incorre em risco. Se te oferecerem 5% ao mês, isso está completamente fora do normal, então abre o olho”, aconselha. 

As promessas de lucros extraordinários podem fazer as pessoas caírem, por exemplo, em esquemas de  pirâmides financeiras . Nelas, as vítimas aplicam bastante dinheiro com a ilusão de que, no futuro, ganharão uma recompensa enorme.

“O risco é perder todo o dinheiro, pura e simplesmente. Às vezes, o esquema funciona por um mês, um ano, aí depois as coisas podem se complicar”, explica Sandra. 

Leia também: Veja as contas que você pode ficar sem pagar para sair do vermelho

3 - Cuidado dobrado com os grupos

Na tentativa de oferecer ajuda mútua, existem muitos grupos em  redes sociais  nos quais as pessoas trocam informações sobre educação financeira e investimentos . Isso pode ser bastante positivo, contanto que se use de cautela, analisando se quem passa as dicas realmente entende do assunto. 

O assessor de investimentos Renan Hoffmann conta que, quando ainda estava aprendendo, acabou pegando uma dica errada em um grupo. Na época, sem saber exatamente o que estava fazendo, ele decidiu fazer operações na bolsa de valores . No primeiro mês, ele perdeu dinheiro, e foi justamente um grupo online que o fez continuar investindo, mesmo que da forma errada.

Leia também:  Sem grana? 6 ideias para ganhar dinheiro de forma rápida e fácil

“A maioria das pessoas que conversam nesses grupos são pessoas que pensam da mesma forma e tem mais ou menos o mesmo nível de conhecimento. Então, todo mundo me falou: é normal você perder no primeiro mês, tenta de novo ”, lembra. E foi aí que Renan errou.

Continuando a investir, ele perdeu R$3.400 reais em apenas seis meses . Hoje, ele olha para trás e analisa: “se eu aplicasse de uma forma inteligente, sabendo que não existe essa coisa de você ficar rico de uma hora para a outra, eu com certeza não teria perdido esse dinheiro”. 

O tombo de Renan o fez bem, na verdade. Depois disso, ele se dedicou a aprender sobre o mercado financeiro , sobretudo na internet . Se encantou pelo que viu e, após uma transição de carreira, trabalha no setor.

Tomando os devidos cuidados, ele acredita que a internet é, sim, uma boa ferramenta para aprender a cuidar do próprio dinheiro. “A gente não aprende educação financeira na escola. Então, essa divulgação através de rede social, de YouTube , atinge uma massa gigantesca de pessoas que nunca tiveram contato com o assunto”, opina.

    Leia tudo sobre: YouTube